Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Causando no UK: The Inbetweeners



O Channel 4 é um dos canais mais populares entre a juventude britânica e a sua versão a cabo, E4, virou uma marca poderosíssima graças ao sucesso de seus seriados enlatados (mostly Friends e Glee) e, principalmente, o enorme aclame obtido pelos seus seriados originais.
Internacionalmente, o seriado mais famoso do canal é Skins. Mas, apesar do grande sucesso que o groundbreaking drama teve em seu país de origem, o maior e mais lucrativo sucesso do E4 localmente é sem duvida nenhuma a comédia The Inbetweeners.

Diferente dos EUA, onde uma série fica no ar eternamente enquanto ela dá audiência e lucro, os britânicos são mais comedidos e comprometidos com a qualidade (e também contam com um orçamento menos gigantesco). Por isso, apesar do seu sucesso sem precedentes, Inbetweeners conta com apenas 3 temporadas, de seis episódios cada.

O programa estreou em maio de 2008 com 321 mil espectadores. Depois de três episódios, a audiência já tinha subido para 430 mil. As reprises dos episódios foram atraindo um público cada vez maior e, em abril de 2009, a segunda temporada estreou com 1.3 milhão de espectadores. E a popularidade continuou crescendo até que a última temporada estreou em setembro de 2010 com 3.5 milhões de espectadores, um recorde histórico para o E4. O seriado chegou ao fim com 4 milhões de espectadores.

Inbetweeners é, de longe, a emissão mais popular entre a juventude britânica e, com audiências recordes e vendas de DVDs na casa dos milhões, um dos maiores fenômenos do humor britânico da última década. Mas, afinal, sobre o que se trata o programa?

É um formato extremamente singelo: uma comédia de 30 minutos sobre um grupo de quatro amigos no Ensino Médio que não são particularmente cool (pelo contrário) e que, pelas circunstâncias, acabam virando amigos apesar da pouca semelhança entre eles. Nenhum dos 4 é bonito ou particularmente likeable. Pelo contrário, são todos bem annoying. Mas é essa a beleza do programa.



O humor é COMPLETAMENTE politicamente incorreto, num nível que é difícil ver o programa ser exibido (e, mais do que isso, alcançar níveis tão enormes de sucesso) em qualquer lugar além do UK. A comédia é cheia de palavrões, ofensas e escatologia. No primeiro episódio da terceira temporada, num fashion show beneficente organizado pela escola, um dos personagens desfila numa diminuta sunga e não percebe que seu testículo esquerdo está completamente exposto (e, claro, nós, espectadores, não somos poupados de vê-lo em detalhes).

Alias, a grosseria é tão presente que o fato da MTV estar preparando uma adaptação para os EUA é, no mínimo, estranho. Principalmente porque no basic cable americano não se é permitido xingamentos, nudez ou excesso de politicamente incorreto (exceto, é claro, na formas de reality shows onde tudo é devidamente bleepado e borrado). Era de se esperar que o canal tivesse aprendido a lição depois do fracasso de público e crítica que foi a versão deles de Skins. Mas aparentemente não é o caso...

Seja como for, quarta-feira passada estreou nos cinemas britânicos The Inbetweeners Movie, a conclusão oficial da saga. O filme, onde os quatro meninos recém-formados e finalmente em idade legal viajam para Malta em busca de alcool e sexo (um ritual comum entre formandos britânicos), estreou com arrecadações recordes: 13 milhões de libras (22 milhões de dólares). Isso é a maior estréia para uma comédia local, quebrando o recorde de Bridget Jones 2: No Limite da Razão (18 milhões). Para se ter uma idéia, a estréia foi maior no Reino Unido do que dois dos filmes mais bem-sucedidos do ano: Piratas do Caribe 4 e Transformers 3. O único filme que arrecadou mais no primeiro final de semana nas terras da rainha foi o último Harry Potter ($38.4 milhões).



Enfim, se eu recomendo Inbetweeners? É claro! Mas não é para os que se ofendem facilmente e é extremamente difícil entender os diálogos, tanto pela enorme quantidade de gírias quanto pelos complicados sotaques britânicos, então legendas (em inglês mesmo. Duvido que existem boas traduções para o português) são um must. Mas não deixe o aclame crítico e a enorme quântidade de prêmios fool you: o humor é completamente débilóide (e, yet, estranhamente brilhante).

Quem sou eu