Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Adele: maior fenômeno da indústria fonográfica britânica?



O sucesso de Adele nas semanas que antecederam a estréia de seu novo álbum, 21, já foi tratado aqui (alias, recomendo a leitura desse post para uma melhor compreensão do porque do fenômeno Adele ter surgido).

Desde então, eu fiquei de postar um follow-up comentando o desempenho do novo álbum e, a cada semana que eu não escrevo, o CD quebra um novo recorde histórico nas paradas britânicas. Então, depois de quase três meses nas lojas, vamos dar uma olhadinha em todos os recordes que o CD já quebrou (hint: foi mais de um para cada semana que ele está a venda).


O primeiro single, Rollin' in the Deep, estreou no começo de janeiro e foi direto para a 2ª posição no Reino Unido. Em todo o resto da Europa, a música alcançou o topo e, nos EUA, mais de 1 milhão de unidades já foram vendidas. Finalmente, em 21 de janeiro, 21 (intitulado assim pois foi escrito quando a cantora e compositora tinha essa idade) chegou as lojas britânicas.
  • Semana 1: Com 204 mil cópias, 21 se transforma no álbum que registrou melhores vendas em janeiro desde 2006, quando os Artic Monkeys lançaram seu esperado debut, Whatever People Say I Am... That's What I'm Not.

    O álbum anterior da cantora, 19, reentrou no top 5, alcançando a 4ª posição.

    Enquanto no Reino Unido o sucesso era impressionante, na Holanda ele ultrapassava qualquer expectativa. Com mais de 100 mil cópias comercializadas, o álbum vendeu mais do que todo o resto do top 100 holandês somado. Para colocar as coisas em perspectiva: 100 mil cópias na Holanda equivaleria, per capta, nos EUA, a 1.9 milhão. Adele já tinha obtido grande sucesso no país com seu álbum anterior mas, o sucesso do single de estréia e a participação da cantora na grande final do The Voice of Netherland, o reality de canto que é o programa mais visto no país, catapultaram a britânica para outra estratosfera.
  • Semana 2: As vendas de segunda semana no Reino Unido confirmaram que o álbum de Adele era um fenômeno raro: 136 mil cópias. Alcançar 100 mil cópias em uma semana num mês seco como janeiro já é difícil, alcançar esse número na segunda semana é semi-impossível. Em duas semanas, o álbum alcançou certificação de platina no UK. 19, o álbum de estréia de Adele, se manteve na quarta posição, com um aumento de vendas de 8% em relação a semana anterior.

  • Semana 3: As vendas continuaram impressionantemente estáveis na terceira semana, com 134 mil cópias.



  • Semana 4: Depois de uma performance histórica de Someone Like You no BRIT Awards, as vendas alcançaram 188 mil unidades na semana que o CD completou um mês nas lojas britânicas. Em quatro semanas, o CD foi certificado platina dupla.

    Alias, a performance no BRIT Awards rendeu de maneira bizarra. Depois que Adele cantou Someone Like You na premiação, a música subiu 46 posições no iTunes, atingindo o topo das paradas digitais e das paradas oficiais com 112 mil unidades vendidas em menos de quatro dias.

    Com isso, Adele tinha dois CDs no
    top 5 de álbuns e duas músicas (Someone Like You e Rollin' in the Deep) no top 5 de singles, fazendo dela a primeira artista a conseguir isso desde os Beatles em dezembro de 1964.

    35 álbuns tiveram vendas superiores a 100 mil cópias durante quatro semanas consecutivas. Mas 21 de Adele era apenas um dos três -- junto com X&Y do Coldplay e Back to Bedlam do James Blunt -- a fazer isso fora do período natalino.

  • Semana 5: Com 174 mil cópias, 21 se mantém no topo da parada enquanto 19 ascende da quarta para a segunda posição.

    Na parada de singles, Someone Like You segue no topo com mais de 100 mil unidades vendidas pela segunda semana consecutiva. Rollin' in the Deep ocupa a quarta posição.

    Com isso, Adele se transforma na unica cantora na história do Reino Unido a ocupar as duas primeiras posições da parada de CDs e ter dois singles no top 5 simultâneamente.

    Com 5 semanas no topo, Adele empata com Moby e seu CD Play (2001) como o lançamento independente que ficou mais semanas consecutivas em primeiro lugar.



  • Semana 6: Adele continua no topo tanto das paradas de álbuns, com 21, quanto da de singles, com Someone Like You. O álbum ultrapassa em menos de 2 meses a barreira de 1 milhão de cópias vendidas no Reino Unido. O CD também continua no topo nos EUA.

    Adele barrou dois dos lançamentos mais esperados do topo: a hypada Jessie J vendeu 102 mil cópias de seu CD de estréia Who You Are -- número que, sob circunstâncias normais, garantiria o topo -- enquanto Beady Eyes, o primeiro álbum dos ex-Oasis sem Noel Galagher, vendeu 74 mil cópias.

    Com seis semanas no topo, 21 quebra o recorde de Moby e empata com The Fat of the Land do The Prodigy de 1997 como o lançamento de gravadora independente que passou mais semanas em primeiro lugar.
    As seis semanas do The Prodigy, que coincidentalmente são da mesma gravadora que Adele (XL Records), não foram consecutivas.

    Nas paradas de single, Someone Like You continua acima de 100 mil cópias pela terceira semana consecutiva.
    É importante destacar a raridade que é um CD arrasar de tal maneira enquanto um single faz o mesmo. Em geral, é um ou outro. Principalmente em CDs de pop mais adulto. A cantora, porém, tem uma leve vantagem ao ter duas versões do single disponíveis no iTunes: ao vivo no BRITS e a versão do CD, em estúdio. Mesmo assim, a dominação de Adele em ambas as paradas é impressionante e raríssimo.

  • Semana 7: Ao vender 162 mil em sua sétima semana, o CD empata com Spirit de Leona Lewis (2007) e o álbum homônimo da boyband JLS (2009) como o CD que manteve suas vendas nos seis dígitos por mais semanas consecutivas. Porém, Adele é a unica que conseguiu tal feito fora das semanas pré-natal e sem participar do The X Factor (Leona foi a vencedora em 2006; JLS ficou em segundo lugar em 2008).

    Na parada de singles, Someone Like You completa um mês ininterrupto no topo.

  • Semana 8: Com 158 mil cópias, o álbum bate o recorde de Leona e JLS como o CD que manteve vendas nos seis dígitos por mais semanas consecutivas no Reino Unido. Ele também quebra o recorde de Lady Gaga e se transforma no CD mais vendido digitalmente da história do UK, com vendas acumuladas de 321 mil cópias (de um total de 1.34 milhão).

    Na parada de singles, Someone Like You é desbancado do topo por Don't Hold Your Breath da ex-Pussycat Doll Nicole Scherzinger.




  • Semana 9: Depois de uma performance no show beneficente da BBC, Comic Relief, Someone Like You retorna para o topo das paradas de singles. Com isso, a música se transforma na primeira a ficar cinco semanas na primeira lugar desde I Kissed a Girl de Katy Perry em 2008.

    Com 156 mil cópias, 21 continua no topo, ultrapassando Back to Bedlam (2005) de James Blunt e empatando com a coletânea dos Beatles, 1, como o álbum que se manteve no topo das paradas britânicas por mais semanas consecutivas no século 21 (a compilação dos Beatles conseguiu tal feito entre o período natalino de 2000 e as semanas iniciais de 2001).

  • Semana 10: Finalmente, chegamos a semana passada quando, impulsionado pelo Dia das Mães, 21 superou as vendas da semana inicial e alcançou 240 mil unidades vendidas ao longo de sete dias. Foram as melhores vendas já registradas no mês de abril na história do Reino Unido.

    Além disso, o álbum de Adele é o unico na história a ter vendas em seis dígitos ao longo de dez semanas e desbancou The Immaculate Collection da Madonna (que ficou em primeiro lugar entre o período natalino de 1990 e as primeiras semanas de 1991) para se transformar no CD de uma cantora que ficou no topo por mais semanas consecutivas na história das paradas britânicas.

    Em semanas não-consecutivas, o CD ainda tem que desbancar Jagged Little Pill (1996) de Alanis Morisette e Come On Over (1998) de Shania Twain. Ambos ocuparam o topo por onze semanas e, sem duvida, Adele empatará com elas na próxima semana (e eventualmente as superará). É importante destacar que tanto o álbum de Alanis quanto o de Shania ultrapassaram 3 milhões de cópias no UK e são dois dos álbuns mais vendidos da história do país.

    Como se isso tudo não fosse o suficiente, 21 alcançou 1.76 milhão de cópias vendidas, uma vantagem de 1.2 milhão em relação ao segundo melhor vendedor do ano. Irônicamente, o segundo melhor vendedor é o lançamento de 2008 de Adele, 19, que desbancou Loud de Rihanna na semana passada. Ao longo de 2011, o primeiro álbum de Adele vendeu 462.3 mil (para um total de 1.2 milhão) enquanto Rihanna está em 441.4 (para um total de 1.3 milhão). Someone Like You, apesar de ter sido novamente empurrado para a segunda poisção (dessa vez, por On the Floor da J.Lo) também se transformou no single mais vendido do ano com 698 mil unidades, desbancando Granande do Bruno Mars (665 mil).
E isso só no Reino Unido. Nos EUA, o sucesso do álbum não é tão avassalador quanto no UK mas ele já superou 800 mil unidades vendidas, o que o coloca com conforto em primeiro lugar entre os mais vendidos do ano. Ainda é cedo para dizer se ela continuará no topo da parada anual nos EUA mas no UK isso é inquestionável.

Alias, existem gigantescas possibilidades de que, só no Reino Unido, o álbum venda mais de 2.4 milhões de unidades até o fim do ano, o que quebraria o recorde de 2005 de James Blunt de maior quantidade de álbuns vendidos em um ano cívil (janeiro até dezembro) com Back to Bedlam (que já ultrapassou 3 milhões).

Isso sem contar que existem grandes chances de 21 se transformar no álbum que ocupou o topo por mais semanas consecutivas, empatando com Legend de Bob Marley, que ficou 12 semanas em 1º em 1984. O desafio dela, porém, é superar o cantor de reggae uma vez que na 13ª semana, os Foo Fighters lançam seu novo álbum e, com uma grande fanbase britânico, é possível que eles terminem com o reinado dela. Caso isso não aconteça, o próximo lançamento forte só chegas as lojas na segunda semana de maio: Born this Way, o segundo CD de Lady Gaga.

Na parada de singles anual, a probabilidade de Someone Like You se manter no topo e fechar o ano como a música mais vendida do Reino Unido é bastante alta. Mais do que isso: existe a possibilidade do single vender mais de 1 milhão de unidades. Caso isso aconteça, será a primeira vez, desde 2005, que um single ultrapassa a barreira de 1 milhão em um ano cívil e, se excluirmos singles de caridade e de ganhadores de reality show, a primeira vez desde 2001 (quando Shaggy vendeu 1.18 milhão de cópias de It Wasn't Me entre março e dezembro). Também seria a primeira vez que o mesmo artista ocupa o topo da parada anual de single e de CDs desde 1995, quando a dupla Robson & Jerome garantiu o primeiro lugar com o álbum homônimo e um cover de Unchained Melody.

E o céu parece ser o limite para a inglesa. A intérprete e compositora de 22 anos é a queridinha dos críticos e sem a menor duvida varrerá os BRIT Awards do ano que vem e, bem provável, os Grammy, o que devera garantir vendas altas para o CD até 2012.

Se ela merece todo esse aclame? Bom, obviamente, isso é subjetivo. Mas o que ninguém pode negar é que Adele tem um vozeirão que emociona com facilidade e sabe escrever uma canção de amor.



Assim como o público, ela se deixa emocionar por suas canções. Sobre sua já lendária apresentação nos BRIT, ela comentou: "eu já fico emocionada fácil. Mas daí eu imaginei meu ex vendo isso de casa. Dele rindo ao me ver chorar e concluindo o quanto poder ele ainda tem sobre mim. E ai eu desabei".

Ela também afirmou que um de seus maiores prazeres é ver a reação positiva que sua voz e suas canções causam no público. "Eu amo quando uma garota arrasta seu namorado para o show e ele fica lá parado todo azedo. Você passa a noite inteira tentando agradá-lo e, no fim, ele tá todo bobo, beijando a namorada. Isso é incrível".

Outra coisa que eu acho interessante nela é como sua personalidade é bem diferente do que o seu look de performance (vestido negro, coque, maquiagem sombria) indica: bem-humorada, risonha e super aproximavel.

Ele também não é nada pretensiosa: no Radio 1 Live Lounge, programa tradicional de rádio onde artistas cantam uma música ao vivo e escolhem uma canção para fazer cover, Adele optou por Promise This de Cheryl Cole, artista de qual ela é "gigantesca fã". Ela também afirmou que a maior influência na hora de produzir o novo álbum foi o fenômeno country do ano passado Lady Antebellum (em específico, o megahit Need You Now) e que ela é a fã número 1 das Spice Girls ("elas são responsáveis pelo que eu sou hoje. Eu comecei a me interessar por música na época que elas estavam no ápice e elas causaram um impacto gigantesco sobre mim. Eu fui no show de reunião delas em 2008 e foi o melhor show da minha vida").

Enfim, adoro a Adele como pessoa. Até porque me identifico muito com ela. Quanto a música, também sou um grande fã apesar de, sinceramente, não achá-la a oitava maravilha do mundo.

Acho engraçado como ser fã da Adele é a coisa do momento. Britney Spears, em todas as suas entrevistas por e-mail, afirma estar viciada no álbum. Lady Gaga, ao ser perguntada em uma entrevista recente de rádio sobre o que tem ouvido, respondeu Adele. Miley Cyrus classificou 21 como "seu CD favorito". E, bom, overhyped ou não, o álbum não alcançaria aclame tão gigantesco em todo o mundo e entre diversos públicos se ele não tivesse seu valor.

All in all, eu fico satisfeito com o sucesso dela. É clichê mas é verdade: é ótimo ver coisas boas acontecendo com pessoas do bem.

Quem sou eu