Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Chart Watch UK+OZ: Diana Vickers ocupa o topo na Grã-Bretanha com seu primeiro single



Diana Vickers, 19 anos, ocupa o topo das paradas de singles britanicas essa semana com Once, o primeiro single de seu álbum de estréia Songs from the Tainted Cherry Tree.

Diana ficou extremamente popular faz dois anos, quando ela participou da sétima edição do reality de talento, The X Factor (que, como eu já comentei aqui, é um gigantesco fenômeno social na Grã-Bretanha). Ela era uma das mais cotadas para sair vitoriosa mas acabou em quarto lugar. Vickers se destacou pelo seu jeito peculiar: sua voz rouca era bastante diferente da dos outros finalistas ("parece que ela canta enquanto está tendo um ataque de asma") e ela sempre se apresentava descalça e deixando a mão numa posição que lembrava uma garra (o movimento, obviamente, foi oficialmente nomeado "The Claw"). A jovem ficou popular, principalmente entre garotas adolescentes que se identificavam com a personalidade da inglesa e admiravam não só sua voz mas também suas roupas e maquiagem.

Os fãs se mostraram bastante fiéis: apesar de ter ficado um longo período longe dos holofótes, o retorno dela foi em grande estilo: foram vendidas 70 mil cópias de seu single. Isso fez dela a terceira pessoa a não ganhar o programa a alcançar o topo das paradas (depois da boyband JLS, que conseguiu isso duas vezes, e de Chico).

A sétima edição do The X Factor foi especialmente bem-sucedida no quesito "lançar talentos": a boyband JLS, que ficou em segundo lugar, virou um gigantesco sucesso na Grã-Bretanha, alcançando o topo das paradas de single duas vezes e vendendo mais de 1 milhão de cópia de seu CD. A ganhadora, Alexandra Burke, atingiu o topo também duas vezes e seu álbum já vendeu mais de 500 mil cópias. Vickers é, por tanto, a terceira finalista da edição a alcançar o primeiro lugar.

Por algum motivo ESCROTO e IDIOTA, a gravadora de Vickers achou uma boa idéia desativar o incorporamento do vídeo. Mas sem alguém tiver curiosidade de conferir o atual chart-topper britânico, clique aqui.

OMG, o single de Usher com a colaboração de Will.I.Am, continua sua jornada de sucesso na Grã-Bretanha. Apesar de ter caído uma posição, ocupando o segundo lugar, as vendas subiram: foram 65 mil downloads ao longo da semana.

Além de Diana Vickers, duas novas músicas entraram no top 10 de singles britânicos: o rapper Chipmunk estréia em terceiro lugar com Until You Were Gone que conta com a participação de Esmee Denters.

Assim como a gravadora de Vickers, a gravadora de Chipmunk também é babaca e desativou incorporamento. Os curiosos podem clicar aqui para assisti-lo.

A outra entrada é bastante inesperada: depois de 20 anos, The Best de Tina Turner volta para o top 10, na nona posição. O fato de um artista cover ter feito uma performance da canção no reality de talento Britain's Got Talent, o programa mais visto do país no momento, com certeza deu um empurrão nas vendas. Mas o que realmente catapultou a música de volta para os singles mais vendidos foi uma campanha no Facebook incentivando torcedores do time de futebol Glasgow Rangers FC a comprar a música, considerada um dos temas do time escocês, para comemorar a mais recente vitória do clube. É a terceira música a entrar no top 10 graças a uma campanha do Facebook em menos de um ano: a maior de todas foi quando, no Natal do ano passado, mais de 500 mil pessoas se juntaram para comprar Killing in the Name Of do Rage Against the Machine para evitar que o ganhador do The X Factor conseguisse a primeira posição na semana que é, tradicionalmente, a que registra as vendas mais altas. Na Páscoa, outra campanha, dessa vez para colocar uma banda cristã no top 10, fez com que o grupo Delerious? alcançasse o quarto lugar.

Para relembrar o grande hit de Tina Turner, clique aqui.

No mais, Plan B ocupa a quarta posição com She Said seguido de Scouting for Girls com This Ain't a Love Song, Professor Green com Need You Tonight, Kelis com A Capella e Timbaland e Justin Timberlake com Carry Out. Selena Gomez encerra o top 10 com Naturally.



Na Austrália, nenhuma nova entrada. Just Say So do Brian McFadden continua no topo pela segunda semana consecutiva. Alejandro de Lady Gaga continua sua impressionante chart run: antes do lançamento do vídeo, a música já alcança o segundo lugar no país Oceânico.

No mais, Train ocupa o terceiro lugar com Hey Soul Sister seguido de Adam Lamber (Whataya Want From Me), Static Revenge, Luciana e BodyRox (I Like That), B.o.B. (Nothin' on You), Kevin Rudolf (I Made It), Usher (OMG), Jason DeRulo (In My Head) e Justin Bieber (Baby).

É com desgosto que eu comunico que Susan Boyle volta para o segundo lugar nas paradas de CDs australiana com I Dreamed a Dream (pois é, não curto ela). Para quem não lembra, o álbum ficou meses em primeiro lugar e, desde seu lançamento, em novembro, nunca saiu do top 10. Com o Dia das Mães se aproximando na Austrália, a escocesa volta para o top 2.

O topo é ocupado por Lady Gaga. Também no top 5: John Butler Trio em terceiro com April Uprising seguidos pela banda folk britânica Mumford & Sons e, a única nova entrada da semana, o cantor de opera local Mark Vincent com seu segundo álbum, My Compass (assim como Boyle, Vincent também saiu do reality show de talento Got Talent: ela da versão britânica, ele da australiana).

O top 10 conta com a presença de Angus & Julia Stone (Down the Way), Slash (Slash), Jason DeRulo (Jason DeRulo), Florence & the Machine (Lungs) e Gyroscope (Cohesion).

Na Grã-Bretanha, a banda de rock australiana AC/DC ocupa o topo com a trilha sonora de Iron Man 2 (Homem de Ferro). Foram vendidas 57 mil cópias do álbum.

A banda batalhou ao longo da semana com Paul Wellers pelo primeiro lugar. No fim, o cantor teve que se contentar com o segundo lugar. Foram comercializados 53 mil cópias de seu décimo CD, Wake Up the Nation.

Depois de estrear com vendas altamente sólidas na semana passada, o rapper Plan B continua extremamente forte. The Defamation of Strickland Banks vende 48 mil cópias em sua segunda semana nas lojas e ocupa a terceira posição.

O novo CD do Meatloaf, Hang Cool Teddy Bar, estréia em quarto lugar e Scouting for Girls, com Everybody Wants to be on TV, encerram o top 5.

O segundo álbum de Kate Nash, My Best Friend is You, estréia em oitavo.

O top 10 também conta com Lady Gaga (The Fame) em sexto, Paolo Nutini (Sunny Side-Up) em sétimo, Justin Bieber (My Worlds) em nono e Florence & the Machine (Lungs) em décimo.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Chart Watch UK+OZ: Oh My Gosh! Usher e Brian McFadden ocupam o topo e Plan B estréia muito bem

Faz três semanas, OMG, o primeiro single do novo álbum de Usher, Raymond vs Raymond, estreou muitíssimo bem na Grã-Bretanha. Apesar de quase nenhuma promoção, a música foi direto para a oitava posição. Tudo indicava que, eventualmente, o single iria alcançar o topo das paradas britânicas e, essa semana, a música produzida por Will.I.Am (que mais parece dos Black Eyed Peas do que do Usher) finalmente alcança o primeiro lugar no país com 58 mil cópias vendidas. É o quarto número 1 de Usher na Grã-Bretanha (os anteriores foram You Make Me Wanna, Yeah! e Burn).

This Ain't a Love Song, a música do Scouting for Girls que ocupou o topo nas últimas duas semanas caí para a segunda posição e I Need You Tonight, do rapper Professor Green, que contém samples da música do INXS de mesmo nome, estréia muitíssimo bem, no terceiro lugar. Alias, a música urbana britânica está num momento muito próspero com Dizzee Rascal, Tinchy Stryder, Chipmunk e os N-Dubz brilhando na cena musical. Um dos maiores hits desse ano até o momento foi Pass Out do novato Tinnie Tempah. E não dá para esquecer Plan B, cuja música She Said caí uma posição essa semana e ocupa o quarto lugar.



Quem também estréia muitíssimo bem nas paradas britânicas é a americana Kelis. Depois de fazer muito barulho com Milkshake, a interprete sumiu por alguns anos mas ela volta com tudo com A Capella que estréia na quinta posição. Não é nada surpreendente o comeback dela estar sendo tão bem sucedido uma vez que ela conta com o apoio de dois dos Midas da cena musical atual: Will.I.Am, que é um dos empresários dela, e David Guetta, que produziu o single..



Lady Gaga e Beyoncé se mantém fortes na sexta posição com
Telephone. Já Selena Gomez estréia em sétimo com Naturally. Sim, eu sei que eu disse que ela iria estrear dentro do top 5 britânico -- e seria a primeira estrela Disney a conseguir esse feito -- mas, no fim da semana, as vendas caíram e ela acabou na sétima posição. Mesmo assim, o resultado não é nada mal: continua sendo o single de uma artista Disney que alcançou a posição mais alta no país (empatando com Hilary Duff que, faz cinco anos, também alcançou o sétimo lugar com Wake Up. As vendas de primeira semana de Duff porém foram consideravelmente mais baixas que as de Selena que vendeu 30 mil cópias de Naturally).


Naturally - Selena Gomez

Timbaland e Justin Timberlake (Carry Out), Tinnie Tempah (Pass Out) e Inna (Hot) encerram o top 10.



Na Austrália, Brian McFadden estréia no topo com seu novo single, a pegajosa Just Say So.

Brian ficou famoso como parte da boyband Westlife. Ele deixou o grupo em 2004 e, logo depois, começou um namoro com a popstar australiana Delta Goodrem. O romance fez dele uma grande personalidade no país oceânico mas, com uma exceção -- o dueto com Goodrem, Almost Here, que alcançou o topo das paradas -- isso não ajudou a carreira musical dele. Just Say So é o primeiro single solo de sucesso de McFadden.

Outro ato que estreou muitissimo bem essa semana foi Adam Lambert. Seu single Whatya Want From Me alcança a quinta posição na parada de singles australiana. Lambert ficou em segundo lugar na edição passada do American Idol e atualmente está lançando sua carreira internacionalmente.


Whataya Want from Me - Adam Lambert

O grande choque da semana foi a altíssima estréia de Alejandro, o novo single de Gaga. A música, que mal acaba de ser lançada e não tem vídeo ainda, estréia na sexta posição. O single promete ser um gigantesco sucesso na Austrália e deve superar facilmente Telephone (que alcançou a terceira posição). Caso Alejandro consiga alcançar o topo, será o primeiro single de Gaga a chegar ao primeiro lugar na Austrália desde Poker Face. Lembrando que a Austrália foi o primeiro país a descobrir Gaga, com Just Dance e Poker Face alcançando o topo lá muitíssimos meses antes do resto do mundo.


Alejandro - Lady Gaga

Além de Brian, Lambert e Gaga, a outra estréia no top 10 foi Usher que alcança a décima posição com OMG.

No mais, Hey Soul Sister do Train caí para a segunda posição depois de três semanas no topo. I Like That do Richard Visson, Static Revenge e Luciana e In My Head de Jason DeRulo ocupam a terceira e a quarta posição respectivamente.

Nothin' on You do B.o.B. alcança a sétima posição e é seguido por I Made It de Kevin Rudolph com Birdman, Jay Sean e Lil Wayne e Baby de Justin Bieber.

Nas paradas de CDs britânicas, todos apostavam que a banda Scouting for Girls ocuparia o topo. Afinal, o álbum anterior deles vendeu quase 900 mil cópias e o primeiro single do novo CD ocupou o topo das paradas de single nas últimas duas semanas. Mas, com 47 mil cópias vendidas, o segundo álbum deles, Everybody Wants to be on TV, teve que se contentar com a segunda posição.



Quem conseguiu a primeira colocação foi o rapper Plan B com seu segundo álbum, The Defamation of Strickland Banks. O primeiro single do álbum, She Said, alcançou a terceira posição e está faz três semanas dentro do top 5.

The Defamation of Strickland Banks, que, com 69 mil cópias, teve uma das maiores vendas de primeira semana do ano, é um CD conceitual. As músicas contam a história de um cantor de soul, Strickland Banks, que vira famosos graças a suas canções de amor agridoces mas acaba perdendo tudo ao ir para a prisão por um crime que ele não cometeu. Plan B, que também é ator, planeja transformar o personagem em um filme.

Lady Gaga, que ocupou o topo na semana passada, caí para a terceira posição com The Fame. Já a banda de neo-psychodelia/synthpop americana MGMT estréia na quarta posição com o novo álbum, Congratulations. O fato da banda ter alcançado o top 5 é extremamente impressionante pois o álbum não teve nenhum single lançado.

A outra nova entrada da semana é o cantor folk estado-unidense Joshua Radin que estréia no nona posição com Simple Times. O álbum foi impulsionado pelo sucesso do single I'd Rather Be With You que não penetrou o top 10 mas alcançou a 11ª posição no Reino Unido.

De resto, Justin Bieber se mantém firme e forte na quinta posição com My Worlds seguido de Paolo Nutini (Sunny Side-Up), Boyzone (Brother), Florence & the Machine (Lungs). Free & Bad Company encerra o top 10 com o seu greatest hit.

Nas paradas de CDs australianas, apenas duas novas entradas: a banda de rock local Gyroscope em terceiro, com Cohesion, e MGMT em nono, com Congratulations.

Lady Gaga continua no topo seguida por April Uprising do John Butler Trio.

Susan Boyle estava caindo durante os últimos meses e estava cada vez mais próxima de sair do top 10 australiana, onde ela esteve desde o lançamento de seu CD, I Dreamed a Dream, em novembro. Porém, com a aproximação do Dia das Mães por lá, o álbum é catapultado de volta para a quarta posição.

Em quinto, Slash com seu álbum homônimo seguido de Angus & Julia Stone e Jason DeRulo.

Florence & the Machine encerra o top 10 australiano com Lungs.

De Olho Nele: B.o.B.



Uma olhada nos singles mais vendidos do momento nos EUA revelam que o atual rei das paradas é ninguém menos que um garoto novato de 21 anos que, faz alguns meses, era completamente desconhecido por grande parte do público: o rapper Bobby Ray, mas conhecido como B.o.B.

Diferente de Drake e Nicki Minaj, que se tornaram gigantescos fenômenos com uma enorme fanbase antes mesmo de lançarem seus primeiros singles oficiais, B.o.B. se manteve low profile ao longo dos anos.

Apesar dele não ter se tornado uma enorme sensação antes da hora, como aconteceu com os rappers da Young Money, o garoto de Atlanta está causando burburinho faz anos.
Entre 2007 e 2009, ele lançou dois EPs e cinco mixtapes, todos altamente elogiados. No fim de 2008, ele apareceu na capa das duas principais publicações sobre hip-hop, Vibe e XXL, como uma das grandes promessas para a cena musical.

Ao longo de 2009, B.o.B. lançou dois buzz single (que não iriam ser incluídos no álbum mas tem a intenção de apresentar o artista ao grande público): Haterz Everywhere e I'll Be Sky. Nenhuma das músicas causou grande impacto.



Finalmente, no começo de fevereiro, o primeiro single oficial de B.o.B. foi lançado: Nothin' on You. Altamente melódico, catchy com ritmo agradável e com uma letra muito mais singela que quase todos os raps, a música se tornou um enorme sucesso, indo direto para o segundo lugar na lista das músicas mais vendidas do iTunes. A canção também alcançou a segunda posição no Hot 100 da Billboard, a parada oficial de singles que contabiliza o sucesso das músicas baseado no airplay nas rádios e vendas no iTunes e outros sites de download legal.

Em dois meses, Nothin' on You, que conta com a participação do produtor Bruno Mars, vendeu mais de 1 milhão de cópias nos EUA. Com pouquíssima promoção, a música estreou dentro do top 10 australiano, no sétimo lugar e com certeza também causará grande impacto nos charts britânicos, onde será lançada na segunda quinzena de maio. Essa semana, a música finalmente alcançou o topo no iTunes americano e existe enorme possibilidade dela acabar com o reinado de Rihanna no Hot 100, onde Rude Boy está no topo faz um mês.

Semana passada, o segundo single de B.o.B., Airplanes, que conta com vocais de Hayley Williams da muitíssimo bem sucedida banda de rock Paramore, foi lançado. Em apenas quatro dias, sem vídeo clipe ou muito apoio das rádios, e nenhuma performance televisionada, a música foi direto para a segunda posição no iTunes (sendo barrada do topo por Nothin' on You).



Com o gigantesco sucesso dos dois primeiros singles, o álbum de lançamento de Bobby, B.o.B. Presents: The Adventures of Bobby Ray, que estava previsto para sair a venda no fim de maio, teve sua data de lançamento adiantada para o dia 27 de abril.

Na minha opinião, B.o.B. é um breath fresh air na cena musical urbana. Seus raps são extremamente unicos, agradáveis e melódicos e o rapaz é extremamente talentoso. O Tá Causando! deseja toda a sorte para ele.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Chart Watch US: I'm a Bieliber


Biebz tenta te seduzir com seu olhar 43 mas o swagger dele de garoto de 12 anos meio que impede a sensualidade de acontecer

Depois de estrear no topo e ser o primeiro album em oito anos a ter um aumento de vendas em sua segunda semana, My World 2.0, o novo lançamento de Justin Bieber, volta ao primeiro lugar em sua terceira semana de venda. Se alguém tinha duvida de quem era o rei das pré-adolescentes: em apenas três semanas, o EP do canadense ultrapassou as vendas totais do último CD dos Jonas Brothers, Lines Vines & Trying Times. Essa semana, o menino vendeu 102 mil cópias, fazendo com que o seu álbum alcançasse 676 mil cópias vendidas em menos de 1 mês.

O primeiro EP de Bieber, que voltou para o top 10 na semana de lançamento do segundo álbum, também permanece entre os dez mais vendidos pela terceira semana consecutiva. My World 1 ocupa a oitava posição.

Em segundo lugar, Usher com Raymond v. Raymond. Em sua segunda semana nas lojas, o sexto CD da estrela do R&B vendeu 92 mil cópias. Alias, para quem não lembra: Usher é o empresário de Bieber.

O CD homônino de um dos guitarristas mais famosos do mundo, Slash, estréia em terceiro lugar com 68 mil cópias vendidas. O álbum do ex-membro do Guns 'n' Roses é uma das únicas duas novas entradas do top 10 essa semana. O outro novo lançamento que penetra a lista é o álbum ao vivo de Madonna, Sticky & Sweet Live, que alcança a décima posição.

De resto, a parada continua parecida com a da semana passada: Lady Antebellum em quarto, Now! 33 em quinto, Monica em sexto, Lady Gaga em sétimo, Bieber em oitavo e Erykah Badu em nono.

No Hot 100, Rihanna continua no topo pela quarta semana consecutiva com Rude Boy. O single se transforma na música de Rihanna mais bem sucedida nos EUA desde Umbrella.

Pouquíssima coisa mudou entre os dez primeiros lugares essa semana: depois de voltar ao top 10 semana passada, In My Head de Jason DeRulo alcança sua posição mais alta nos EUA: quinto lugar. Além disso, OMG, o novo single de Usher, também penetra a lista, alcançando a décima posição.

No mais, B.O.B. continua na segunda posição com Nothin' on You seguido de Train com Hey Soul Sister. O britânico Taio Cruz volta para o top 5 com Break Your Heart, na quarta posição.

Em sexto lugar, o fenômeno country Lady Antebellum com Need You Now seguido de Imma Be dos Black Eyed Peas e Baby de Justin Bieber.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Tabloid Wednesday: Em um ano, Kim Kardashian perde 95 kilos e Angelina Jolie completa um mês de gestação

A essa altura vocês já sabem de cabeça todos os assuntos favoritos dos tablóides americanos, né? Brangelina e Jennifer Aniston, TomKat, as irmãs Kardashians, reality stars do momento (muito provavelmente alguma irmã Kardashian), e estrelas que perderam grande quantidade de peso dividindo suas dietas milagrosas (muito provavelmente alguma irmã Kardashian).

Essa semana, para nosso choque, os tablóides jogaram todas essas pautas pela janela e resolveram inovar.

Hahaha, até parece.

O hot topic dessa semana foi o corpo BIZARRO de Heidi Montag. A garota faz parte do elenco de The Hills, o reality show da MTV que virou um gigantesco fenômeno (e já perdeu o destaque para as Kardashians, Kendra, Jon e Kate, Jersey Shore...). No começo, ela era melhor amiga de Lauren Conrad, a protagonista, até que começou a namorar Spencer Pratt, enlouqueceu e começou a fazer absolutamente tudo por atenção. No começo desse ano, ela passou por mais de DEZ CIRURGIAS PLÁSTICAS, o que prova que a fama transformou a garota (de apenas 23 anos) numa psicopata total. O resultado foi simplesmente bizarro e deprimente. A pior parte: antes de todos os procedimentos, Heidi era bem bonita.



Semana passada, a OK! confirmou, numa matéria impagável, uma suposta gravidez de Jennifer Aniston que poderá acontecer a qualquer momento nos próximos 12 meses.

Nessa edição, é a vez de Kate Holmes ser contemplada com uma capa igualmente divertida e imaginativa. De novo, eles afirmam que ela pode estar ou não estar grávida mas que ela planeja ter um filho ainda esse ano.

Alguns fragmentos da matéria: "Tom sempre disse que engravidar tem que ser uma decisão da parte de Katie apenas. Não porque ele é um bom moço mas sim porque isso é um dos mandamentos da Scientologia".

E: "A religião prega que a alma do bebê deve habitar seu corpo pré-nascimento com clara intenção de que ele quer nascer".

E ó, a matéria da OK! deve ser quase toda inventada mas se tem uma coisa que provavelmente é verídica são esses mandamentos bizarros da Igreja da Scientologia, o culto assustador do qual o Tom Cruise faz parte.

O nome da fragrância que Jennifer Aniston lançará no próximo mês, Lola Vie, é uma referência a música favorita dela cuja letra diz Whatever Lola wants, Lola gets (tudo que Lola quer ela consegue). De acordo com a OK!, essa é a mantra que Jen aplica em sua vida e é esse seu sexy secret. Realmente chocante.

No mais, temos Heidi Montag, cuja imagem de bikini é usada para anunciar uma matéria sobre CORPOS BIZARROS. Eu olho para essa garota e fico realmente triste em ver como a fama arruinou a vida dela. E fico chocado que um cirurgião aceite fazer DEZ PLÁSTICAS DE UMA SÓ VEZ numa garota de 23 anos (que agora parece ser uma atriz pornô de 46).



E mais uma A-lister grávida! A Star afirma que Angelina Jolie está em seu terceiro mês de gravidez. "Angie está no primeiro estágio da gravidez. Ela está bastante cansada e com profundas olheiras". Olha, ela tem seis filhos, estranho seria se ela não tivesse olheiras e estivesse sempre muito disposta.

Mais pérolas da matéria: "Angelina planejou a gravidez antes dela ir pra Itália". Aham, porque não existe timing melhor para engravidar do que enquanto você filme um thriller sensual com o Johnny Depp.

Alias, a revista tá sendo muito burra em não aplicar o método OK! de fazer reportagens de capa. Esse negócio de afirmar que ela está "três meses grávida" é a maior roubada porque isso é facilmente desmentido. A parada é ser o menos específico possível, dizendo que ela "pode ou não estar grávida, não tem certeza se quer adotar ou não, mas definitivamente quer mais um filho dentro dos próximos oito anos". Não só é mais difícil pro porta-voz dela negar como a possibilidade deles estarem certos é bem maior. Fica ai a dica.

O engraçado é que a capa é EXTREMAMENTE familiar. Sim, sim, faz exatamente UM ANO, a Star publicou uma capa quase idêntica, anunciando que Angelina estava grávida de 2 meses e meio. Quem sou eu para contestar a Star não é mesmo? Os Jolie-Pitt sempre foram uma família extremamente especial, não estou surpreso com a descoberta que o tempo passa de maneira diferente para eles.

Se, faz 12 meses, ela estava dois meses e meio grávida, isso significa que quinze dias no calendário Brangelina equivale a um ano no calendário do resto do planeta. Isso significa que, se Angie tiver uma gravidez normal, o bebê deve nascer em 12 anos de acordo com o calendário cristão (nove meses no calendário Brangelina). Isso, é claro, se o período de gestação dos Jolie-Pitt for similar a de um humano normal o que, pensando bem, é altamente improvável.

Uma vez que nós compreendemos que a Star está usando o misterioso calendário Brangelina como parâmetro, os detalhes contidos na matéria -- como o fato da gravidez ser de três meses -- ficam muito mais vagos. Muito esperto da parte deles.

Sex and Skinny. É esse o título da reportagem que especula a possibilidade de Sarah Jessica Parker estar sofrendo de uma desordem alimentar. Um médico que nunca a tratou estima que ela pesa 43 kgs (o que, levando em conta que ela é bem baixinha, nem é tão anormal assim). Sugestão para a capa da semana que vem: Apenas 43 kgs! SJP revela sua milagrosa dieta ("SJP come um Tic-Tac de almoço, acompanhado de uma taça de água Evian. Quando ela quer uma guloseima, a esguia atriz come metade de uma folha de alface") .

A publicação afirma que a mãe de Tori Spelling, Candy, viuva do milionário produtor de televisão Aaron Spelling, está oferecendo dez milhões de dólares para que a filha se divorcie de Dean McDemott. Eu já expliquei numa edição passada do Tabloid Wednesday o porque da ex-atriz de Barrados no Baile continuar sendo relevante no mundo das revistas de fofoca: um reality show de sucesso (o que mais poderia ser, não é mesmo?).

A revista também tem uma reportagem com detalhes da recém-lançada biografia não-autorizada de Oprah que está causando gigantesca repercussão nos EUA. Ela pode ser gay, pode ter um caso com sua melhor amiga Gayle e Stedman, o namorado oficial de Winfrey, pode ser homossexual e ter tido um caso com o cabeleireiro de Oprah e seu próprio primo.

No mais, o pai de Miley, Billy Ray Cyrus, a proibiu de usar shorts muito curtos (o tamanho mínimo é 20 centimetros acima do joelho). Além disso, Jim Carey pagava cinco milhões de dólares anualmente para sua namorada, Jenny McCarthy para que ela não revelasse nenhum segredo sobre ele. Segredos chocantes como: "Se Jim não gosta de você ele te ignora, se recusa a apertar sua mão e te encara como se você fosse de outro planeta. Ele as vezes se tranca num quarto com uma estátua de Budha e reza por horas. E as vezes ele tratava Jenny como uma empregada -- era vergonhoso assistir". Revelações extremamente sórdidas, não é mesmo? *bocejo*



Minha relação com a InTouch é cheia de altos e baixos. Inicialmente, eu não gostava nem um pouco da revista porque ela sempre foi especialmente trashy. Mas daí eles conseguiram aquele grande furo sobre a infidelidade do marido de Sandra Bullock e eu tive que aplaudi-los pois realmente foi um trabalho bem feito. O meu respeito por eles durou bem pouco porque, na semana seguinte, eles fizeram umas reportagens de capa de quinta com revelações chocantes e obviamente falsas sobre o casamento de Brad Pitt e Angelina Jolie.

Mas, essa semana, eu tenho que aplaudi-los novamente. A capa da edição mais recente é simplesmente hilaria. Charles Sheen com a FANTASIA MAIS IDIOTA DO MUNDO. Como a própria publicação observa em suas páginas, "como alguém pode ser tão idiota?".

Enfim, Sheen devia estar na rehab mas ele tem escapado de lá com freqüência para ir visitar sua amante, uma modelo de lingerie. Para não ser reconhecido, o ator de Two & a Half Men coloca o bigode falso mais falso da história, capuz e óculos escuros. Palmas pela astúcia do moço!

Além disso, Sandra Bullock morria de medo de Jesse James enquanto eles eram casados. Ele não se importava com o que ela queria na cama e a submetia a seus "gostos bizarros" como "filmes pornôs degradantes com temática nazista". Olha, não sei se era essa a intenção da inTouch, mas essa reportagem definitivamente não me faz simpatizar nem um pouquinho com Sandra. A hora que você se dá conta que seu marido é um supremacista branco é a hora que você deve pedir o divórcio.



Eu sei que, a essa altura, vocês já devem estar extremamente tensos, suando frio enquanto se perguntam "Cadê uma reportagem de capa dedicada a alguma Kardashian, de preferência sobre como ela perdeu 2 kgs em 5 dias?!?!?!".

Respirem aliviados porque a Life & Style atendeu as suas preces. A nova dieta de Kim é tão groundbreaking quanto todas as 56 anteriores: uma mistura saudavel de proteínas e vegetais e nenhum carboidrato.

Julgando pelas capas das revistas de fofoca, as irmãs Kardashians perdem, em média, 2 kilogramas por semana. Isso significa que, no fim do ano, elas terão perdido 96 kilos. O que nós concluímos com isso? Das duas uma: ou, daqui há alguns meses, as Kardashians vão simplesmente evaporar e vão levar junta toda a indústria de fofoca ou, assim como os Jolie-Pitt não seguem o calendário normal, as Kardashians também tem medidas de peso completamente diferentes de um humano normal. É possível que 1 kilograma no mundo das garotas seja o equivalente a gramas numa tabela de peso normal. Levando em conta as fotos de paparazzi, que mostram que as três irmãs continuam com tamanhos normais, estou mais inclinado a acreditar na segunda opção.

Olha Tori Spelling de novo! Eles basicamente publicam a mesma matéria que a Star publicou sobre a SJP e estimam que ela pesa 42 kgs.

Kate Gosselin Breaks Down!! A publicação afirma que a mãe de oito filhos está viciada em pílulas. Puxa vida, mas que pílulas são essas? Pílulas tarja preta? Para emagrecer? Não. Zoloft, para dormir *bocejo*. 80% da população mundial é viciada em Zoloft...

A revista também diz que Cameron Diaz e o jogador de futebol americano A-Rod, que já teve flings com Kate Hudson e Madonna, estão tendo um caso muito sórdido. Tem também uma matéria revelando o cachê que as celebridades supostamente recebem para aparecer em eventos: Kim Kardashian quer 100 mil dólares, Heidi Montag $25,000 (e ela leva o corpo bizarro junto), Snooki de Jersey Shore $15,000 e Lindsay Lohan se contenta com 2.500. Pobre LiLo, já já ela vai estar pagando para ser convidada...



Depois de semanas de build-up, o triângulo amoroso formado por Justin, Jessica Biel e Cameron Diaz finalmente descola uma capa. Para quem não lembra (o que te qualifica como um péssimo leitor do Tabloid Wednesday uma vez que essa informação é repetida toda santa semana), Diaz e J.T., que namoraram no passado, estão filmando juntos a comédia romântica Bad Teacher. De acordo com todos os tabloides, Cameron estava determinada a roubar Timberlake de Biel e, de acordo com a capa da US Weekly dessa semana, ela cumpriu sua missão.

Olha, a US Weekly costumava ser bastante confiável até pouco tempo atrás mas, a julgar pelas últimas capas, não sei não...

Enfim, a matéria segue a cartilha OK!: a capa faz um anuncio chocantes, que Diaz finalmente fisgou J.T., mas dentro da revista não tem absolutamente nenhuma informação concreta: os dois se dão muito bem no set de filmagem, estão sempre rindo e se divertindo e Justin fica extremamente excitado quando Biel se comporta de maneira territorial e ciumenta. Não tem nenhum tipo de confirmação que a relação de Cameron e Timberlake seja qualquer coisa mais do que amizade.

Mais uma matéria sem nada novo a acrescentar: Sandra Bullock se casou com Jesse James achando que ele era um bad boy reformado e ficou muito chocada ao descobrir que ele mantinha seus hábitos do passado.

Outros destaques: o corpo bizarro de Heidi Montag e Ruby Gettinger. Quem é Ruby?, vocês perguntam. É uma mulher que ficou famosa graças a um -- GRANDE SURPRESA -- reality show. O programa, exibido pela Style, acompanhava Ruby, uma mulher morbidamente obesa, em sua jornada para perder 70 kgs. Na reportagem, ela fala um pouco sobre seu passado traumático, do qual ela tem poucas memórias



A People tem a tradição de ocasionalmente dedicar a capa a algum assunto que causou grande repercussão mas não está relacionado ao mundo das celebridades. Essa semana, a principal reportagem é sobre a tristissima história de Phoebe Prince, uma garota irlandesa de 15 anos que cometeu suicídio depois de meses sendo vítima de bullying em sua high school em Massachucets, nos EUA. Como alguém que foi vítima de bullying, essa história é particularmente triste para mim.

A People é um tablóide com classe (sim, tablóide. Vejam a Kate Gosselin ali no cantinho nos lembrando desse fato) e, para reforçar a parte do "com classe", eles sempre homenageiam as personalidades que morreram ao longo da semana, não importa o quão boring ela tenha sido. Semana passada foi o John Forsythe (John quem?), essa semana foi Dixie Carter (que era uma das protagonistas da sitcom Designing Women no fim dos anos 80).

E isso conclui mais um Tabloid Wednesday atrasado. Até semana que vem (no calendário cristão, não no calendário Jolie-Pitt).

Agradecimentos: Cover Awards, pelas imagens e Jezebel, por informações adicionais.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Chart UK+OZ: Usher ascende na Grã-Bretanha e Florence e Justin Bieber começam a fazer barulho na Austrália

Na Austrália, Hey, Soul Sister do Train continua no topo pela terceira semana consecutiva. O top 5 se mantém bastante parecido ao da semana passada, com a unica nova entrada sendo I Like That de Richard Visson, Static Revenge e Luciana que ascende da sétima para a terceira posição. In My Head de Jason DeRulo continua na segunda posição, Telephone de Lady Gaga e Beyoncé caí para o quarto lugar e Memories do Kid Cudi com David Guetta encerra a lista dos cinco mais vendidos.



Justin Bieber e Florence & the Machine finalmente penetram o top 10 de singles australianos. Baby estréia na sexta posição enquanto You've Got the Love aparece no nono lugar.

No mais, I Made It de Kevin Rudolf, Birdman, Jay Sean e Lil' Wayne aparece no sétimo lugar e Rude Boy de Rihanna encerra o top 10.

Na lista de álbuns mais vendidos, Lady Gaga volta para o topo com The Fame. The John Butler Trio, que ocupou o primeiro lugar semana passada, caem para segundo. O guitarrista Slash estréia com seu CD homônimo na terceira posição seguido de Angus & Julia Stone (Down the Way) e Mumford & Sons (Sigh no More).

Jason DeRulo ocupa a sexta posição e Usher estréia em sétimo com Raymond vs. Raymond. Florence & the Machine (Lungs), Susan Boyle (I Dreamed a Dream) e Taylor Swift (Fearless) encerram o top 10.



Na Grã-Bretanha, Carry Out, single de Justin Timberlake com Timbaland, é a única nova entrada no top 10, estreando na sexta posição.

De resto, pouca movimentação: This Ain't a Love Song do Scouting for Girls segue no topo. Já OMG de Usher ascende para a segunda posição. She Said do Plan B continua no terceiro enquanto Telephone de Lady Gaga e Beyoncé caí para a quarta colocação. Pass Out de Tinnie Tempah encerra o top 5.

Também entre os dez mais vendidos: Inna em sétimo, com Hot, Rihanna em oitavo, com Rude Boy, Justin Bieber em nono, com Baby, e, finalmente, Cheryl Cole com Parachute.

A lista dos CDs mais vendidos continua quase idêntica ao da semana passada: Gaga e Boyzone trocam de posição, com The Fame ocupando o primeiro lugar e Brothers caindo para segundo. Também entre os mais vendidos: Justin Bieber com My World, Paolo Nutini, com Sunny Side Up, Florence and the Machine, com Lungs, o volume 2 da trilha sonóra de Glee, Mumford & Sons, com Sigh no More, o primeiro volume da trilha sonóra de Glee, Alicia Keys, com The Element of Freedom e o greatest hit do Free and Bad Company.



Apesar de não ser elegível para a parada ofícial por ser uma coletânea, Now! That's What I Call Music 75 continua sendo o CD mais vendido do país, com 86 mil cópias, mais do que o triplo do que Gaga, o primeiro lugar nos charts, vendeu.

domingo, 11 de abril de 2010

Disney Royalty

Você pode amá-los ou odiá-los ou ser completamente indiferente a eles mas uma coisa não dá para negar: as estrelas Disney são parte importante do panorama pop atual. Conheça-os:

Miley Cyrus



Upside: Hannah Montana, o seriado que lançou Miley ao estrelato, é o programa mais visto e icônico do Disney Channel. A franquia já gerou mais de 1 bilhão de dólares para a empresa e deu origem a um filme que faturou mais de 150 milhões de dólares. As trilhas sonoras do programa já venderam mais de 5 milhões de cópias quando somadas e a turnê que Miley fez como a personagem, em 2007, foi uma das mais lucrativas do ano e deu origem a um filme em 3D que gerou 80 milhões de dólares nas bilheterias.

Apesar do sucesso sem precedentes de seu programa, Miley transcendeu o rótulo de "estrela Disney": ela é uma das celebridades mais fotografadas e comentadas nos EUA, conhecida por absolutamente toda população. Quando deletou seu Twitter, em meados do ano passado, Miley foi notícia no mundo inteiro (o Twitter suicide dela continua repercutindo até os dias de hoje). Sua carreira musical também vai de vento em popa: sua primeira turnê como "Miley Cyrus" foi um grande sucesso. Além disso, ela foi a unica artista do canal a conseguir com que quatro de suas músicas penetrassem o top 10 da Hot 100, com Party in the USA alcançando a segunda posição e vendendo mais de 3 milhões de cópias nos EUA.


Miley: convidada nos Oscars durante três anos consecutivos

No YouTube, dois de seus vídeos (Party in the USA e 7 Things) ultrapassaram a marca de 100 milhões de views. Além de ter aparecido na capa das principais publicações adolescentes, como Teen Vogue e Seventeen, Miley provou ser uma estrela com um apelo mais abrangente ao também estampar as capas da Elle, da Glamour e da Harper Bazaar, revistas femininas para um público mais velho.

Seu apelo vai além dos EUA: em sua turnê pela Grã-Bretanha e pela Irlanda, Miley vendeu mais de 130 mil ingressos em questão de horas. Na Espanha, sua aparição no El Hormiguero fez com que o programa batesse recordes históricos de audiência. Na Austrália, Party in the USA foi certificado platina por vendas de 70 mil cópias.


Miley está num turning point em sua carreira: no momento, ela está filmando a última temporada de Hannah Montana. Faz duas semanas, Miley provou -- novamente -- que, mesmo sem peruca loira, ela é uma estrela de primeiro escalão: The Last Song, o primeiro papel de Cyrus fora da bilionária franquia Disney, lucrou 25 milhões de dólares em sua primeira semana em cartaz, um resultado extremamente respeitável.

Downside: Miley Cyrus é uma das celebridades mais odiadas dos EUA. Seus escândalos pessoais, sua personalidade over the top, sua super exposição na mídia, suas roupas sensuais e até sua voz fizeram com que milhões de pessoas adotassem um profundo ódio pela garota de 17 anos.

Além disso, a desvinculação com a Disney é sempre algo perigoso. Vide o que aconteceu com Hilary Duff: Lizzie McGuire se transformou num gigantesco sucesso, dando o ponta-pé inicial para o Disney Channel se transformar na potência que é hoje, e Hilary virou uma disputada estrela, vendendo milhões de CDs, estrelando bem sucedidas comédias românticas e aparecendo na capa de milhões de revistas. Porém, depois de um ano sem o apoio do Mickey, Duff foi perdendo força e, hoje em dia, apesar de ser uma personalidade bastante conhecida, não tem mais selling power.


A suposta pole dancing de Miley nos Teen Choice Awards causou gigantesca controversia

Nesse aspecto, Miley e seus assessores têm sido mais perspicazes: apesar de Hannah Montana estar chegando ao fim, a estrela continua próxima da corporação: Last Song, por exemplo, foi distribuído e promovido pela Disney.

Outro perigo: Miley Cyrus já deixou claro que não está muito satisfeita com o tipo de música que é forçada a fazer e, depois de seu próximo álbum, planeja colocar sua carreira musical on hold, focando sua atenção no cinema.

Para começar, a garota é muito mais bem sucedida como cantora pop do que como atriz e priorizar o cinema é bastante perigoso, principalmente quando se leva em conta que, com o público que ela tem (jovem) e com suas limitações (Miley não é nenhuma Meryl Streep), ela ficara muito vinculada a um tipo especifico de filme, o que poderá desgastar a imagem da já super exposta Miley (de novo, vide o que aconteceu com Hilary Duff e sua carreira cinematográfica). Além disso, a pretensão de Miley em ser uma "artista menos pop" é uma receita para o desastre: o público quer vê-la cantando Party in the USA, as chances de alguém se interessar por ela sentada numa cadeira com um violão na mão são próximas a zero.



What's next: No fim desse mês, The Last Song será lançado internacionalmente e Miley visitará países europeus para promovê-lo. Em junho, Miley lançará seu novo CD e single, ambos entitulados I Can't Be Tamed (Eu não posso ser domada). Para promove-lo, ela irá fazer uma intensa promo tour que inclui novamente paradas por diversos países europeus (e shows nas edições de Lisboa e Madrid do Rock in Rio, onde Miley é um dos maiores nomes no cartaz). Um mês depois, em julho, Hannah Montana Forever, a última temporada de seu icônico sitcom, estréia no Disney Channel (o episódio final, que certamente quebrará recordes de audiência, só deverá ser exibido em 2011). Em setembro, ela começa a gravação de seu novo filme, LOL, que também estrelará Demi Moore. LOL é uma adaptação de um filme adolescente francês que foi um grande sucesso no país no ano passado e que, alias, eu super recomendo (for the record: como fã do original, não acho Miley certa para o papel principal). Miley tem mais três filmes em desenvolvimento.

Selena Gomez



Upside: Selena é a grande aposta para herdar o trono de Rainha Disney de Miley. Alias, um dos motivos do sucesso da garota de 17 anos é que ela é basicamente uma anti-Miley: extremamente bem comportada, humilde, profissional e NUNCA polêmica. Assim como odiar Miley virou uma coisa cool para muitas crianças e jovens mundo afora, amar Selena pelo que ela representa -- uma antitese da superexposta e controversa Cyrus -- também se tornou algo extremamente popular. Prova disso é o fato de, no Facebook, Selena ter mais de 4 milhões de fãs, o dobro do que Miley Cyrus tem (ela é a quarta celebridade com mais fãs no maior site de relacionamentos do mundo, atrás apenas de Vin Diesel, Megan Fox e Lady Gaga).

Claro que só o fato dela ser uma anti-Miley não justifica tanto sucesso: a comédia que Gomez estrela no Disney Channel, Wizards of Waverly Place, é a segunda maior franquia do canal. O seriado também deu origem a um filme mas, diferente de Hannah Montana, ele teve seu lançamento direto na TV. Nem por isso foi menos bem sucedido: nos EUA, a estréia de Wizards of Waverly Place: The Movie atraiu 13.5 milhões de telespectadores, a segunda maior audiência da história do Disney Channel (atrás apenas do lançamento de High School Musical 2, que atraiu 16 milhões de pessoas) e o programa não-esportivo mais visto da TV a cabo estado-unidense ao longo do ano passado.


Como atriz, Selena está sendo bastante elogiado, com muitos críticos afirmando que o timing cômico da garota em seu sitcom Disney é excepcionalmente bom. Ela estreará nas telonas em julho desse ano, na versão cinematográfica da clássica série literária infantil Ramona and Beezus. Ela também tem vários outros filmes em desenvolvimento.

Como toda estrela Disney que se preze, Selena também tem uma carreira musical. Para se diferenciar dos seus companheiros, Selena resolveu formar uma banda, Selena Gomez & the Scene, ao invés de se lançar como cantora solo. O primeiro álbum da banda, Kiss & Tell, chegou as lojas em setembro do ano passado e acaba de ser certificado Disco de Ouro nos EUA por 500 mil cópias vendidas. Apesar do primeiro single do CD, Falling Apart, ter fracassado, a segunda música de trabalho, Naturally, tem sido muitíssimo bem recebida, tendo alcançado o top 30 da Billboard, vendendo mais de 1 milhão de cópias no país.

Selena Gomez está no meio de sua primeira promo tour européia onde está causando histeria em países como Alemanha, França, Espanha e Grã-Bretanha. Semana que vem, Gomez conseguirá algo histórico para a companhia em que trabalha: Naturally será o primeiro single de uma artista Disney a alcançar o top 5 da Grã-Bretanha. A unica artista Disney que conseguiu penetrar o top 10 foi Hilary Duff que, em 2003, alcançou a nona posição com So Yesterday e, em 2005, a sétima com Wake Up. Os Jonas Brothers só conseguiram chegar a 13ª posição com S.O.S. Nem Miley, cuja turnê britânica quebrou recordes no fim do ano passado, conseguiu esse feito (o mais próximo que ela conseguiu foi a 11ª colocação com Party in the USA, The Climb e See You Again).

Apesar de ainda não ter o tamanho para fazer sua própria arena tour, os shows por casas de show de médio porte tem se esgotado com impressionante rapidez. Os dois mil ingressos para seu show em Londres, por exemplo, foram embora em menos de 10 minutos.




Além disso, analisando as capas das principais revistas sobre estrelas pré-adolescentes dos EUA, como a J-14 e a Tiger Beat, se comprava que Selena tem ganho mais destaque (e, por tanto, atraí mais interesse) do que Miley Cyrus.


Downside: Apesar de ser elogiada como atriz, Selena não é tão boa como pop star. Além de uma voz fraca, Gomez tem pouquíssima presença de palco (algo que Cyrus tem de sobra). O fato das músicas dela serem extremamente sem graça (mesmo levando em conta o fato que é pop feito para criança) não ajuda muito. No momento, essas limitações não a tem impedido de alcançar grande sucesso e repercussão mas, se não melhorar nesse aspecto, ela nunca conseguirá chegar perto do tamanho de Miley.

Falando em Miley, Selena ainda terá que suar para alcançar o tamanho de sua principal rival. As 1 milhão de cópias vendidas de Naturally nos EUA são impressionantes mas ainda estão bastante distantes dos 3.5 milhões de Party in the USA. O top 5 na Grã-Bretanha é um grande feito mas não é tão significativo quanto vender 100 mil ingressos em questão de horas ou ser convidada para cantar para a Rainha no Royal Variety Show.


Extremamente bem conectada: Selena é amiga das maiores celebridades pré-adolescentes como Justin Bieber, Taylor Swift e Taylor Lautner

Além disso, Selena já apareceu na capa de revistas como Seventeen e Teen Vogue mas ainda não fez a transição de "estrela adolescente" para "estrela", algo que Cyrus já conseguiu.

Por não ser tão grande, a atenção que o chefe Mickey reserva a ela também não é tanto. Enquanto Miley teve seu primeiro starring vehicle, The Last Song, milimetricamente planejado pelos executivos Disney, o primeiro filme de Selena Gomez está sendo lançado pela Fox, sem grande apoio da companhia que a transformou numa estrela.

Porém, como os 4 milhões de fãs no Facebook, as vendas satisfatórias e os números altíssimos que seu programa consegue provam, certamente existe um enorme apetite por Selena Gomez.

What's next: Em julho, Ramona & Beezus, o primeiro grande filme de Selena, estréia nos EUA. Em agosto, Gomez começa, na Europa, a filmagem de seu novo projeto para a telona, Monte Carlo, que também terá Leighton Meester (Gossip Girl) e Cory Monteith (Glee) no elenco. Um terceiro filme, What Boy Wants, está sendo desenvolvido pela New Line para ela e Wizards of Waverly Place continuará no ar no Disney Channel pelos próximos anos.

Jonas Brothers



Upside: Existiu um momento na carreira desse irmãos de New Jersey que todos apostavam que eles se tornariam maiores do que Miley. Depois de um primeiro CD fracassado, os Jonas Brothers foram contratados pela Disney e, com o apoio do Mickey, se tornaram um gigantesco sucesso.

Diferente das outras estrelas do canal, Nick, Kevin e Joe foram lançados primeiramente como músicos e, só depois, ganharam seus próprios starring vehicles no poderoso Disney Channel (embora, obviamente, o canal tenha sido peça fundamental na promoção da música deles).

Em 2007, o single S.O.S. alcançou a 17ª posição, sendo os primeiros artistas Disney a alcançar o top 20 do Billboard. O CD deles alcançou a quinta posição e vendeu mais de 1 milhão de cópias.

No ano seguinte, Joe Jonas foi escolhido como protagonista de Camp Rock, um novo filme original do Disney Channel que o canal esperava que se tornasse um franquia tão poderosa quanto High School Musical. Apesar de não ter alcançado o tamanho do filme de Zac Efron e Vanessa Hudgens, o DCOM (Disney Channel Original Movie) foi um sucesso com 8.5 milhões de telespectadores em sua primeira exibição. Apesar de Joe ter o papel principal, Nick e Kevin também tinham aparições especiais.

O ano de 2008 foi o ápice dos Jonas: além da estréia de Camp Rock, o terceiro CD deles, A Little Bit Longer, estreou com vendas de 520 mil cópias, a maior primeira semana de um artista Disney até os dias de hoje. Eles também foram os primeiros artistas Disney a conseguir penetrar o top 5, alcançando a quinta posição com o single Burnin' Up (ano passado, Miley quebrou o recorde deles alcançando a quarta posição com The Climb e a segunda com Party in the U.S.A.) e apareceram na capa da Rolling Stone, uma das revistas de cultura pop mais importantes do mundo.



Em 2009, os irmão visitaram mais de 15 países com a sua primeira grande tour mundial. A turnê foi uma das mais lucrativas do ano, faturando mais de 65 milhões de dólares. Nos EUA e no Canadá, foram vendidos mais de 1 milhão de ingressos; na Europa, foram 130 mil e, na América Latina, 620 mil.

Eles também lançaram o terceiro álbum, Lines, Vines & Trying Times, um filme em 3D de seu show e, finalmente, sua própria sitcom no Disney Channel, J.O.N.A.S.

Em 2010, os Jonas resolveram se dedicar a projetos solos: o mais gay velho, Kevin, se casou enquanto Nick lançou um CD com sua nova banda, Nick Jonas & The Adiministration.

Downside: Os Jonas não são mais a potência que eles já foram no passado. Justin Bieber, o cantor canadense de 16 anos, substituiu Joe, Nick e Kevin no coração das garotas pré-adolescentes mundo afora.

Depois de dois CDs que ultrapassaram a barreira de 1 milhão de cópias vendidas, o último CD dos Jonas, Lines, Vines & Trying Times, vendeu pouco mais de 500 mil cópias no total, um número respeitável porém abaixo do esperando, principalmente levando em conta que o álbum anterior deles vendeu isso em uma semana.

No fim de 2008 eles eram a grande aposta para ultrapassar Miley em popularidade. Não foi o caso: depois de um começo promissor, a popularidade deles desinflou enquanto Miley se manteve extremamente estável.

O filme em 3D deles, Jonas Brothers: The 3D Concert Experience, lucrou 20 milhões de dólares, quatro vezes menos do que Miley Cyrus/Hannah Montana: Best of Both Worlds Live in 3D.

O seriado, J.O.N.A.S, era a grande aposta do Disney Channel para combater a poderosissima programação de sábado do canal rival, Nickelodeon. Não deu certo: a Nick continuou líder com facilidade e o programa acabou sendo movido para as noites de domingo onde registra audiências satisfatórias mas mais baixas do que Hannah Montana ou Wizards of Waverly Place.



Nos Kids' Choice Awards desse ano, um dos principais eventos televisivos infanto-juvenis, os Jonas Brothers perderam, pela primeira vez em três anos, o prêmio de Melhor Banda (para os Black Eyed Peas, um grupo que não tem como público-alvo crianças). O grande momento da noite? A performance de Justin Bieber que levou a casa abaixo.

What's next? Apesar de estarem se dedicando a projetos solos, os Jonas Brothers continuam próximos ao Disney Channel: no fim de julho, Camp Rock 2: The Final Jam estréia no canal. A sitcom J.O.N.A.S também foi renovada para uma segunda temporada. Os irmãos prometem um novo álbum e turnê em breve.

Demi Lovato



Upside:
Lovato foi a última mega estrela "criada" pela Disney e é, de longe, a melhor cantora. Sua grande estréia foi como protagonista do filme Camp Rock, em junho de 2008, onde fez par romântico com Joe Jonas.

Dois meses depois, Demi lançou seu primeiro CD, Don't Forget. Diferente de Selena e Miley, a garota esteve profundamente envolvida com a produção do álbum, escrevendo nove das onze canções (seis delas junto com os Jonas Brothers). O CD estreou na segunda posição e já vendeu 500 mil cópias até o momento.

No começo de 2009, Lovato ganhou seu próprio seriado, Sonny with a Chance. O programa, que já está em sua segunda temporada, tem mantido audiências satisfatórias.

Demi foi apresentada aos executivos da Disney por Selena Gomez, sua melhor amiga. As duas se conheciam há mais de dez anos, desde que participaram juntas do elenco do programa pré-escolar Barney. A amizade das garotas foi altamente promovida e um filme original do Disney Channel estrelando as duas, Princess' Protection Program, exibido em junho do ano passado, atraiu 8.4 milhões de telespectadores, um número excepcionalmente alto (quase o mesmo que Camp Rock apesar de uma promoção menos intensa). Alias, só como curiosidade: as garotas não são mais amigas.

Em julho, o segundo CD de Demi, Here I Go Again, estreou em primeiro lugar na Billboard.

Faz algumas semanas, Joe Jonas e Demi Lovato confirmaram que estavam namorando. O anúncio potencializou bastante o interesse do público em ambos. A confirmação não podia ter sido em um momento mais propício: logo quando Joe e Demi estreavam a canção Make a Wave, a música tema do novo documentário da Disney, Oceans e três meses antes do lançamento da seqüencia de Camp Rock.

Downside: Apesar de ser a melhor cantora e ter um verdadeiro talento para música, Demi ainda não alcançou o tamanho ou a fama de Miley e de Selena. O seu último CD, lançado em julho do ano passado, vendeu 380 mil cópias. Já o de Selena, lançado no fim de setembro, já ultrapassou as 500 mil cópias.

Demi penetrou o top 20 com o primeiro single de seu segundo álbum. Here We Go Again alcançou a 15ª posição do Hot 100. Apesar da música ter conseguido uma colocação mais alta do que qualquer canção de Selena, ela não chegou nem perto das 1 milhão de cópias vendidas de Naturally. No segundo maior mercado do mundo, Grã-Bretanha, Demi nunca conseguiu sequer penetrar o top 30.


Apesar de audiências boas, Sonny with a Chance também não é uma franquia tão poderosa quanto Hannah Montana ou Wizards of Waverly Place.

O selling power de Demi ainda é questionável. A garota nunca conseguiu, por exemplo, aparecer na capa de alguma grande publicação, nem sequer da Seventeen ou da Teen Vogue.

É verdade que, ao confirmar o namoro com Joe Jonas, o interesse do público nela aumentou. Os dois devem inclusive aparecer juntos na capa da Teen Vogue de agosto. Porém, Demi ainda terá que batalhar para alcançar as suas companheiras Disney.


Desde que assumiram o romance, Joe e Demi, ou Jemi, viraram alvo dos paparazzos

What's next: Diferente de Miley e Selena, Demi não tem nenhum projeto para o cinema. Porém, em julho, Camp Rock 2: The Final Jam estréia no Disney Channel. Ela também deverá começar uma turnê em breve (possivelmente, junto com os Jonas Brothers) e o seu seriado, Sonny with a Chance, deverá ser renovado para uma terceira temporada.

Olha pra gente!



Existe uma grande distância entre Miley e Demi. Porém, todas as estrelas mencionadas acima -- Miley Cyrus, Selena Gomez, Jonas Brothers e Demi Lovato -- são altamente conhecidas, fotografadas e idolatradas. Eles são, por tanto, a realeza Disney.

Existem diversas estrelas que almejam alcançar esse tamanho. São elas:

Miranda Cosgrove: Miranda faz o papel de Carly no seriado da Nickelodeon iCarly. O sitcom é o programa infanto-juvenil mais visto da TV estado-unidense, superando até Hannah Montana em audiência. O sucesso do programa transformou a garota de 16 anos em milionária: a própria Nick confirmou que ela recebe, por episódio, um salário com sete digitos, transformando-a numa das atrizes mais bem pagas da televisão americana.

Apesar disso tudo, Miranda nunca conseguiu alcançar a fama das estrelas da Disney, sendo praticamente uma anônima quando comparada com o tamanho que os astros do canal rival alcançaram: os seus primeiros dois singles fracassaram, paparazzos não correm atrás dela e poucas pessoas com mais de 15 anos sabem quem ela é. Isso não desanima a garota: o primeiro álbum de Cosgrove, Sparks Fly, chega as lojas no fim desse mês.

Victoria Justice: Victoria Justice é a nova aposta da Nick. O canal desenvolveu um programa só para ela, Victorious. No programa, Victoria interpreta uma garota que freqüenta uma escola de artes e, por tanto, vive cantando e dançando. A emissora está apostando todas as fichas no sucesso do programa recém estreado e os executivos do canal estão cruzando os dedos para que Victoria consiga alcançar o tamanho das estrelas Disney e garanta vendas altas para a trilha sonora do programa.

Bridgit Mendler: Bridgit, de 17 anos, é a estrela do novo sitcom do Disney Channel, Good Luck Charlie que estreou semana passada. O programa é uma sitcom familiar, nos moldes de Full House e outras comédias televisivas populares no começo dos anos 90. É um formato diferente para o Disney Channel, cujos programas sempre giram em torno de algo fantástico (Hannah Montana: estudante de dia, popstar de noite. Wizards of Waverly Place: bruxos. Sonny with a Chance: uma garota que estrela seu próprio programa de TV). Do jeito que o Mickey é ganancioso, é só questão de tempo até a garota lançar uma carreira como popstar. A abertura do programa é cantanda por ela, é claro.

Incesto Disney

A primeira turnê de Miley Cyrus foi aberta pelos Jonas Brothers. Na época, Miley namorava Nick Jonas. No lançamento do segundo CD dos irmãos, Nick tinha terminado com Miley e estava num relacionamento com Selena Gomez, melhor amiga de Demi Lovato, que estava abrindo os shows dos Jonas Brothers. Na época, Miley estava filmando Hannah Montana: The Movie e namorando seu co-star Lucas Till. Ela era amiga próxima de Taylor Swift, que tinha acabado de terminar um relacionamento com Joe Jonas. Demi e Selena deixaram de ser amigas e Lovato se transformou em grande amiga de Miley, sua cunhada na época (sim, ela namorou Trace Cyrus), enquanto Gomez se aproximou de Taylor Swift. Na época, Selena estava num relacionamento com Taylor Lautner, uma das estrelas da saga Crepúsculo, e Taylor Swift estava próxima de Lucas Till que tinha aparecido no clipe de You Belong with Me. No lançamento do terceiro CD dos Jonas, Nick Jonas e Miley Cyrus voltaram a namorar e inclusive gravaram um dueto juntos, Before the Storm. O relacionamento durou pouco tempo e rapidamente Miley engatou um relacionamento com seu co-star em The Last Song, Liam Hemworth. Já Taylor Swift também começou um namoro com Taylor Lautner. O namoro de Taylor e Taylor terminou ao mesmo tempo que Nick Jonas e Selena Gomez davam uma segunda chance ao seu romance, juntinho com o lançamento do primeiro CD de Nick Jonas & the Admnistration. Nick e Selena não duraram muito mas o rompimento dos dois foi ofuscado pelo anúncio de namoro entre Demi Lovato e Joe Jonas.

Quem sou eu