Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

UK Xmas Number 1: He Ain't Heavy, He's My Brother


 Em 1989, em Hilsborough, Sheffield, uma partida de futebol entre o Liverpool e o Nottingham acabou em desastre quando, devido a falta de organização, um pisoteamento acabou em 96 mortes e 700 feridos, se transformando numa das maiores tragédias do Reino Unido.

A tragédia continuou repercutindo durante anos quando os torcedores do Liverpool -- uma cidade de classe trabalhadora -- foram acusados de começar a confusão por causa do excesso de bebedeira. Quatro dias depois do desastre, a manchete do The Sun -- o tabloide de maior circulação no Reino Unido -- usou como manchete THE TRUTH, ajudando a perpeturar a teoria de que os fãs do time do norte estavam bêbeados, urinando nos corpos das vítimas e se aproveitando da confusão para furtar dinheiro. O presidente da UEFA, acreditando que a tragédia foi culpa dos hooligans, chamou os torcedores de "bestas".

O aftermath foi tempestuoso: pelo menos oito sobreviventes cometeram suicídio e vários mais tiveram problemas psicológicos como descoberto por uma investigação feita pelo jornal The Guardian. As feridas continuaram abertas, principalmente em Liverpool onde, em 2009, vinte anos após a tragédia, o memorial service das vitimas atraiu 29 mil pessoas. O The Sun, por causa de sua controversa manchete, foi boicotado na região e, ate hoje, 23 anos depois, tem os piores resultados de venda por lá, muito abaixo da média nacional. O assunto desperta tantas emoções que um vídeo de 15 segundos, mostrando o jogador francês Charles Itjande dando uma risada durante os dois minutos de silêncio no memorial de 20 anos da tragédia foi apontado como a causa principal para ele ter sido demitido do time.

Esse ano, mais de duas décadas mais tardes, as investigações das causas da tragédia foram concluídas e foi provado que a culpa do desastre foi totalmente da polícia e da organização e que as afirmações do The Sun eram completamente falsas. Também foi descoberto um enorme cover-up da polícia local, que escondeu evidências e alterou depoimentos das testemunhas. Todos -- do presidente da UEFA ao editor do The Sun na época -- pediram desculpas públicas e até o homem que foi a fonte do tabloide para as alegações provadas faltas, o ministro conservador Irvine Patnick, foi identificado e forçado a se desculpar.

Em todo o caso, apesar de alguma justiça ter finalmente sido feita (com bastante atraso), a tragédia continuará sendo uma fonte de enorme trauma para fãs de futebol e moradores de Liverpool.

 

Para relembrar as vítimas, o produtor Guy Chambers versionou a música He Ain't Heavy, He's My Brother em prol a várias caridades associadas as vítimas da tragédia. Participaram do cover celebres Liverpudlians como a Sporty Spice Mel C, o comediante John Bishop e a maior estrela da região, Sir Paul McCartney além de outros grandes nomes da música britânica como Robbie Williams, Paloma Faith e Mick Jones do The Clash.

O single foi o Christmas Number 1 desse ano, uma posição de enorme prestigio e bastante disputada (quem já viu Love, Actually ou leu os posts sobre o X Factor por aqui vão entender). Foi o segundo ano consecutivo que o Christmas Number 1 foi uma música em prol a uma causa: ano passado, o topo foi ocupado pelo coro The Military Wives (as esposas de militares britânicos), com a música Wherever You Are.

He Ain't Heavy He's My Brother vendeu 270 mil unidades ao longo da semana, a segunda maior semana de vendas de um single esse ano. A melhor semana de vendas continua sendo o vencedor do X Factor, James Arthur, que na semana passada teve 490 mil unidades comercializadas do seu winner single, Impossible.

Mais informações sobre as vendas no Reino Unido no meu post de retrospectiva da UK music scene em 2012 em algumas semanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu