Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Efeito pós-Grammy: Adele continua batendo recordes


O álbum de Adele já vendeu TANTO que chegou a um ponto que nós já estamos nos perguntando: "quem diabos ainda não tem o CD da mulher?". E, bom, a julgar pelo aumento de 196% de vendas na semana pós-Grammy, parece que MUITA gente. Nos EUA, foram vendidos nada mais nada menos que 730 mil unidades nos últimos 7 dias, o maior bump pós-Grammy da história (ultrapassando os 621 mil que Come Away with Me da Norah Jones vendeu em 2003 e os 583 mil de Supernatural de Carlos Santana em 2000) e também a segunda maior semana de vendas de um álbum que não acabou de ser lançado (atrás da trilha sonora de Titanic que, em 1998, vendeu 814 mil na semana do Dia dos Namorado).

É a 21ª semana de 21 em primeiro lugar. Sendo assim, o CD ultrapassa The Bodyguard, a trilha sonora do filme de Whitney Houston, para se transformar no álbum de uma cantora que passou mais semanas no topo das paradas. Além das 6 milhões de unidades vendidas ao longo de 2011, o CD já vendeu 1.5 milhão desde o começo de 2012, elevando o total de vendas para 7.5 milhões. É só questão de tempo para que 21 se transforme no primeiro álbum em 10 anos (desde The Eminem Show de Eminem e Come Away with Me de Norah Jones) a vender 10 milhões de unidades nos EUA e obter certificação de diamante. Para se ter uma idéia da força do CD, NENHUM outro álbum ultrapassou 250 mil unidades nos EUA desde que o ano começou, ou seja, 21 tem uma vantagem modesta de 1.35 milhão em relação ao segundo lugar (o novo álbum do Van Halen, A Different Kind of Truth). Alguém duvida que 21 irá ser o CD mais vendido do ano nos EUA pelo segundo ano consecutivo?

Enquanto isso, Rolling in the Deep, que foi a performance triunfal de retorno dela nos Grammys, voltou para o topo das paradas do iTunes e voou de volta para a quinta posição no Hot 100 americano. Até o momento, a música é a segunda maior vendedora da era digital dos EUA com 6.5 milhões de unidades vendidas (atrás apenas de I Gotta Feeling dos Black Eyed Peas, que vendeu 7.5 milhões até o momento) e, no total, o quarto maior single da história do país (atrás de Candles in the Wind 97, que vendeu mais de 11 milhões impulsionado pela morte da Princesa Diana e We Are the World, o icônico single de caridade de 1985 em prol a África que vendeu mais de 8 milhões). Já Set Fire to the Rain se mantém em segundo lugar e Someone Like You retorna para o top 10 em décimo, marcando a primeira vez que uma cantora monopoliza 30% do top Hot 100 com seus sucessos solos. No total, Adele já vendeu 17 milhões de singles nos EUA.

Ah, e outro recorde: das 7.5 milhões de unidades vendidas de 21, 2 milhões foram digitalmente. Assim, 21 ultrapassa Recovery de Eminem para se transformar no álbum que mais vendeu digitalmente na história.

O álbum de estréia da cantora, 19, também teve um aumento de 144% em relação a semana anterior com 87 mil cópias vendidas (4ª posição e cada vez mais próximo dos 2 milhões de unidades, número já alcançado no Reino Unido). Ah, e o DVD, Live at the Royal Albert Hall, vendeu 75 mil unidades, elevando o total de vendas para 650 mil cópias. Adele está no topo da parada de vídeos faz 12 semanas, o maior run de uma artista feminina desde que Barbra - The Concert de Barbra Streisand ocupou o primeiro lugar por 16 semanas consecutivos entre 1994 e 1996. O recorde histórico pertence a Whitney Houston cujo lançamento, Whitney Houston's The Video #1 Hits, passou 26 semanas em primeiro lugar em 1986.
Com isso tudo, Adele ocupou o topo da parada de CDs e de DVDs, teve 2 CDs no top 5 e três singles no top 10, uma das maiores dominações da parada americana na história. Para se ter uma idéia, a última vez que um ato teve 2 CDs no top 5 e três músicas no top 10 foi em 1964 e e o as artistas em questão eram ninguém menos que os Beatles (que, alias, lançavam um CD novo a cada 6 meses fazendo o achievement de Adele ainda mais impressionante).

Levando em conta que Adele está conquistando isso tudo enquanto a indústria fonográfica passa uma das maiores crises de sua história, será que seria far fetched imaginar que o álbum teria um chart run no estilo de Thriller, o álbum de Michael Jackson que tem a distinção de ser o CD mais vendido da história, se fosse lançado em dias melhores? Afinal, nos anos 90, Alanis Morisette vendeu 13 milhões de cópias de Jagged Little Pill só nos EUA enquanto Shania Twain vendeu 20 milhões (!!) só na terra do Tio Sam com Come On Over. E embora ambos os albums sejam icônicos e sucessos sem precedentes, o impacto cultural de 21 não deixa nada a desejar quando comparado com os CDs das canadenses.

 

Vendo os recordes de Adele e vendo como tantos deles se interpõem com os de Whitney Houston (mais semanas no topo da parada de CD; mais semanas no topo da parada de vídeo), nós somos lembrados do tamanho do sucesso conquistado pela cantora. Sendo assim, a comoção que sua morte repentina causou não é tão surpreendente.

Depois do anúncio de sua morte, as vendas de Whitney cresceram em 183%. O seu Greatest Hits vendeu 183 mil unidades e ocupou o segundo lugar das paradas de CDs. Já no Hot 100, o Billboard mudou as regras em relação a músicas antigas não podendo chart e, graças a isso, I Will Always Love You retornou na terceira posição. Desde que a morte de Whitney foi anunciada, a canção mais famosa da vocalista já vendeu 500 mil unidades nos EUA. Entre 1992 e 1993, a canção, que é usada no climax do filme O Guarda-Costas, já passou 14 semanas no topo e vendeu 5 milhões de unidades (na época de singles físicos) além de ter ajudado a trilha sonora vender 15 milhões de cópias só nos EUA (e 45 milhões a nível global incluindo 3 milhões no Japão; 2 milhões no Reino Unido e mais de 1 milhão na Alemanha, na França, no Brasil, na Coréia e no Canadá).

Além de Adele e Whitney, o outro ato enormemente beneficiado essa semana foi o duo folk The Civil Wars. Formados por Joy Williams e John Paul White, o CD de estréia deles, Barton Hollow, teve um aumento de 145% e atingiu o top 10 pela primeira vez (em décimo lugar) apesar da banda ter tido pouco mais de 1 minuto na cerimônia, logo antes de Taylor Swift. Alias, foi Swift que ajudou a transforma-los em sucesso maintream graças a Safe & Sound, uma colaboração entre ela e o duo, que é o single inicial da trilha sonora do filme mais esperado do ano, The Hunger Games. Como provado por Mumford & Sons ano passado, bandas folk indie são sempre bastante impulsionadas pelo Grammy. Bruno Mars, que teve uma das apresentações mais elogiadas da noite, também viu seu álbum duplicar as vendas em relação a semana anterior.

Já na parada de single, Katy Perry mostrou sua força estreando diretamente no topo com seu novo single, Part of Me, música de estréia do relançamento de Teenage Dream. Impulsionada pela aparesentação nos Grammys, a música vendeu 411 mil unidades, a maior quantidade de vendas na semana inicial desde Born this Way de Lady Gaga faz 1 ano. É o sétimo número 1 de Katy Perry e o nono top 5 hit da cantora.


Também impulsionado pelo Grammy: Chris Brown. Turn Up the Music, o single atual do controverso cantor, estreou em décimo, Desde 2008, Brown, uma presença garantida no topo do Hot 100 antes de sua agressão em Rihanna, só apareceu no top 10 mais uma vez (com Look at Me Now em 2010).

Starship, o primeiro single oficial do novo álbum de Minaj, produzido por RedOne, estréia em nono, dando a moça seu segundo top 10 hit. Apesar de ter se apresentado no Grammy, a rapper optou por cantar Roman's Revenge (que ainda não foi lançada oficialmente).

Top 10 de álbums: 1. Adele - 21 (730 mil); 2. Whitney Houston - The Greatest Hits (175 mil); 3. Coletânea - Now! That's What I Call Music 41 (94 mil); 4. Adele - 19 (87 mil); 5. Coletânea - Grammy Nominees 2012 (85 mil); 6. Van Halen - A Different Kind of Truth (58 mil); 7. Paul McCartney - Kisses on the Bottom (58 mil); 8. Bruno Mars - Doo-Woops & Hooligans (38 mil); 9. Lady Antebellum - Own the Night (37 mil); 10. The Civil Wars - Barton Hallows (36 mil)
Top 10 de singles: 1. Katy Perry - Party of Me (411 mil); 2. Whitney Houston - I Will Always Love You (367 mil); 3. Adele - Rolling in the Deep (271 mil); 4. Adele - Set Fire to the Rain (254 mil); 5. Kelly Clarkson - Stronger (What Doesn't Kill You) (252 mil); 6. Fun - We Are Young (244 mil); 7. Nicki Minaj - Starships (204 mil); 8. Adele - Someone Like You (183 mil); 9. Chris Brown - Turn Up the Music (180 mil); 10. LMFAO - Sexy and I Know It (136 mil).
Top 10 do Hot 100 (vendas+airplay): 1. Katy Perry - Part of Me; 2. Adele - Set Fire to the Rain; 3. Whitney Houston - I'll Always Love You; 4. Kelly Clarkson - Stronger (What Doesn't Kill You); 5. Adele - Rolling in the Deep; 6. Fun - We Are Young; 7. Adele - Someone Like You; 8. Rihanna (ft. Calvin Harris) - We Found Love; 9. Nicki Minaj - Starships; 10. Chris Brown - Turn Up the Music.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu