Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Very Mary-Kate


Mary-Kate e Ashley

Apresentadas ao público pela primeira vez em Full House, as gêmeas Olsen criaram um império de mais de 100 milhões de dólares estrelando filmes direto para vídeo (onde elas viajavam o mundo e se divertiam muito) e lançando uma imensidão de produtos licenciados.

Hoje em dia, a vida de Mary-Kate e Ashley (elas odeiam ser chamadas de "gêmeas Olsen") é um mistério. Icônes de estilo (pioneiras no estilo boho a.k.a. mendigo de luxo: com uma mistura de grifes e peças vintage, ambas sempre estão estilosamente bagunçadas), elas levam muito a sério a carreira delas na indústria da moda, passando a maior parte do tempo comandando duas linhas de roupa, The Row e Elisabeth & James. Apesar do trabalho ser quase que totalmente nos bastidores -- MK e Ashley não costumam usar a imagem delas para promover as marcas -- as duas grifes (principalmente a The Row) são extremamente bem sucedidas.

A discrição de ambas só aumentou a curiosidade do público em relação a vida das duas garotas estilosas e multi-milionárias. Em 2008, para promover o livro Influence, as gêmeas aceitaram o convite da apresentadora mais poderosa do mundo, Oprah, para uma entrevista. As perguntas mudanas de Winfrey ("o que vocês comem de café da manhã?") refletiram perfeitamente a enorme avidez do público para saber mais sobre o dia-a-dia de Mary-Kate e Ashley.

A comediante Elaine Carrol não foi boba e soube capitalizar com o interesse do público. Ela pegou alguns trajeitos e caracteristicas da gêmea mais carefree e louquinha Mary-Kate (seu jeitinho meio loopsy, sua voz baixa, seu estilo boho, sua tendência em fazer beiçinho com os lábios, sua fortuna milionário) e criou uma interpretação hilária de como seria a vida da garota. O resultado foi a maravilhosa webserie Very Mary-Kate
.

A primeira vez que eu vi os vídeos foi meio díficil entendê-los perfeitamente,. E isso afetou a minha impressão em relação ao material. Só na segunda viewing que eu realmente comecei a apreciar a série.

Apreciei tanto que eu resolvi dividi-los com vocês. E, para quebrar um galho, até fiz as traduções.

É óbvio que a "unnoficial autobiography" de MK é meio injusta. A gêmea tem sim uma carreira e, como o sucesso de sua linha de roupa prova, ela não é nada boba. Apesar disso, a webserie é hilária.

Tudo começa com a decisão de Mary-Kate de parar de dividir um apartamento com sua irmã:



Mary-Kate: Está na hora de eu assumir minha independência. De agora em diante, nada mais de Mary-Kate e Ashley. É só Mary-Kate.
Ashley: Você não precisava ter comprado um apartamento novo.
Mary-Kate: Tipo, não é que eu não queira que você não exista mais Ashley. Você super pode continuar existindo se você quiser.
Ashley: Você comprou um apartamento novo, no meu prédio, exatamento do lado do meu.
Mary-Kate: Chega um ponto na vida de todo Olsen que eles precisam seguir em frente sozinhos. Nós não podemos ser gêmeas para sempre.
Ashley: Não é assim que "gêmeas" funciona.
Mary-Kate: Você ainda é minha melhor amiga. Você é como uma irmã pra mim! Mas tipo como freiras são irmãs. Ou as pessoas negras são irmãs. Ou as calças viajantes são irmãs.
Ashley: Não é assim que as calças viajantes funcionam...
Mary-Kate: Se você continuar agindo assim eu vou ter uma péssima primeira impressão de você como minha vizinha. A gente pode tipo começar de novo?
Ashley: Tá...
Mary-Kate: Ei vizinha, me empresta um grão de açúcar?
Ashley: Ew, açucar é engordativo.
Mary-Kate: E se a gente dividir?



Mary-Kate: Ai meu Deus, guarda-costa... mudança é tipo mega exaustivo...
Guarda-costa: Como você pode estar exausta se eu fiz tudo enquanto você tirava uma soneca?
MK: Ai, uma soneca cairia bem agora...
GC: Espero que viver no seu próprio apartamento faça de você uma pessoa mais independente.
MK: É, eu também... ei, você pode segurar minha garrafinha de água enquanto eu bebo tipo...
GC: Tipo um hamster, eu sei.
MK: Brigada... Ai meu Deus, eu tô tipo muito tonta agora...
GC: Você comeu algo hoje?
MK: Não... mas ontem eu vi uma foto de um english muffin e eu ainda tô tipo cheia.
GC: Se você for viver sozinha, você vai ter que comer...
MK: Não, não, eu tô me sentido diferente... eu acho que eu tô tipo doente de verdade.
GC: Eu não vou invadir aquele hospital infantil de novo.
MK: Mas OxyContin de gente grande tem gosto de chocolate...
GC: Já são seis da tarde, eu tô indo pra casa, me liga se você precisar de qualquer cois... sim?
MK: Sou eu...
GC: Eu ainda estou no apartamento...
MK: Você pode pegar um bagel?
GC: Tá...
MK: Não um de verdade, só uma foto.
GC: Eu sei.



Guarda-costa: Mary Kate!
MK: Oi guarda-costa...
GC: Esse é meu apartamento, o que diabos você tá fazendo aqui?
MK: Eu tô morrendo...
GC: Hoje é meu dia de folga.
MK: Eu tõ com 23 graus de febre...
GC: Isso não é febre.
MK: A minha temperatura corporal normal é de 10 graus.
GC: Por favor, vai embora. Eu tenho só um dia de folga por semana.
MK: Mas eu tô morrendo... meu nariz congelou, meus dedos do pé congelaram, meu kimono congelou...
GC: Como diabos você chegou aqui? Como você sabe onde eu moro?
MK: Meu investigador particular ligou pra área de recursos humanos que ligou para seu contato de emergência que ligou pro meu assistente pessoal que ligou pro piloto do meu helicóptero Olsen First 1 que foi me buscar no telhado do Soho House* porque eu disse que eu não estava me sentido muito bem e precisava de você. Você sabia que eu tive que voar por cima de um rio pra chegar aqui? Foi uma loucura... Você tem que nadar pra chegar lá em casa?
GC: Volte para o seu helicóptero e vá pra Manhattan.
MK: Mas e se eu tiver morta e você tiver o poder de ver pessoas mortas?
GC: Isso é impossível.
MK: Você tem que se submeter a uma avaliação pra ir pro Céu? Tipo a Soho House? Espero que não tenha nenhum teste que detecte drogas...
GC: Estou fechando a porta.

*Soho House é um clube mega exclusivo em Manhattan



Ashley: E as reformas do apartamento?
MK: Uma loucura... a fonte da piscina ainda não foi instalada e a grama do meu campo de mini-golf ainda não cresceu então eu me sinto como se eu tivesse acampando, sabe?
A: Você sabe que quando você quiser você pode usar o meu campo de mini-golf.
MK: Viver sozinha é díficil! A maior parte do tempo sou só eu, eu mesma e as 40 pessoas que eu contratei para trabalharem para mim...
A: Você devia comprar um cachorro!
MK: Eu tive uma idéia melhor... eu vou ter um bebê!
A: Ai meu Deus, MK, por favor não!
MK: Eu sabia que era isso que você ia dizer e, por isso, eu fiz uma lista de 10 motivos pelo qual eu deveria ir em frente. Razão número 1: eu comprei um carrinho de bebê* de 10 mil dólares na internet. Razão número 2: tinha uma cadeirinha pra carro e um porta fraldas da mesma coleção. Razão número 3: eu comprei a cadeirinha pra carro e o porta fraldas da mesma coleção. Razão número 4:... me empresta 500 mil dólares?
A: Você tá super despreprada pra ser mãe!
MK: Porque você tá sendo tão má comigo?! Tudo que eu quero é um legado, alguém que continue no mundo depois que eu morrer! Eu já estou sentindo o tique-taque do meu relógio biológico e isso tá meio que me deixando com nojo.
A: Você sabe que bebês são engordativos, né?
MK: Uh... só se você tiver o tipo que cresce na sua barriga. Tipo as pessoas pobres.
A: O que diabos você faria com um bebê?
MK: Ai, Ash! Sei lá! Passear por ai, eu acho... levar em parques de bebê, deixar ele cheirar outros bebês...
A: Eu tenho que ir, eu pedi um rolinho primavera.



Guarda-costa: Seu purê de Xanax com melância tá pronto.

MK: Ai meu Deus, Guarda-costa... eu não sei se ser uma mãe solteira é uma boa idéia.
Guarda-costa: Parece que você finalmente tá caindo na real!
MK: Eu preciso de um pai pro meu filho...
GC: O que?
MK: Você quer ser o bebê do meu papai?
GC: Nem sei o que é isso... e não.
MK: Eu não quero que meu bebê acabe na prisão, ou na rehab ou na TV a cabo! Eu quero que meu bebê tenha uma vida normal!
GC: Ninguém que aprendeu a usar o piniquinho com a ajuda do Dave Coullier sabe qualquer coisa sobre uma vida normal.
MK: Vamos fazer um bebê! Via fertilização in vitro! Ou através de uma universitária sem dinheiro!
GC: De jeito nenhum.
MK: Porque tá todo mundo pisando nos meus sonhos? Isso é tudo que eu sempre quis nas últimas 48 horas! Uma versão pequena, completamente dependente e branquela de mim!
GC: Em primeiro lugar, você já é uma versão pequena, dependente e branquela de você mesma. Em segunda lugar, a Ashley também é.
MK: OK, em primeiro lugar, isso é malvado. Em segundo lugar, você está sendo malvado comigo. Em terceiro lugar, tudo bem você não querer me dar seu esperma, eu contrato alguém para extraí-lo enquanto você dorme. E em quarto lugar, eu tô sentido gosto de melância nisso, você pode refazer?
GC: Eu me demito.
MK: Mas guarda-costa, você não pode se demitir, você é tipo meu melhor amigo!
GC: Isso é uma loucura, tô caindo fora!
MK: Eu te pago o dobro.
GC: Tá bom mas eu posso tirar o resto de dia de folgga.
MK: Tá bom.
GC: Não roube meu esperma enquanto eu durmo.
MK: Tá bom.
GC: É sério.
MK: Tá bom.
GC: Também não robe o esperma do David Coullier!
MK: De novo pisando nos meus sonhos!



A: Você tem que entender uma coisa MK. Ter um bebê não é tipo fazer um filme ou ser uma atriz bem sucedida ou entrar na lista das 100 pessoas mais ricas da Forbes. Ter um bebê é díficil!
MK:
Talvez eu deva me contentar com adotar.
A: Você tem que tomar cuidado. Por causa da sua rotina de dormir-chorar-vomitar, talvez você que acabe sendo adotada...
MK: O que eu faço agora? Eu jogo a toalha e tipo engordo 100kg?
A: Eu sei o que vai te deixar animada! A gente coloca nossos pijaminhas, tomamos ecstasy, ligamos a luz negra e...
MK: Isso funcionava quando eu tinha sete anos! Agora eu sou uma adulta com problemas de adulto! Eu só quero um bebê in vitro enquanto eles ainda estão na moda...
A: Porque você não tenta a maneira tradicional? Tipo faz sexo com alguém? Tipo um cientista? E daí, em troca, ele te dá um bebê in vitro.
MK: Ai, Ash, eu tô tão deprimida!
A: Não chore, MK, é nojento... o que iria te animar?
MK: Talvez se a gente fosse fazer um passeio em um de seus zepelins?
A: Hmmm... talvez
MK: E talvez a gente possa convidar alguns amigos?
A: Hmm...
MK: Meu convite já teve 150 retweets. Talvez a gente precise de dois de seus zepelins...
A: Eeehh...
MK: Ew, John C. Mayer tá vindo.... quem é ele?


Gostou? Tem mais lá no site oficial da webserie.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu