Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Pop tidbits



Esse comercial, da loja de departamentos britânica John Lewis, é uma fofura. A musica, She's Always a Woman, do Billy Joel é fantástica. Not surprisingly, o anúncio virou uma febre na Grã-Bretanha.

O comercial é uma graça e muito bem feito. Por tanto, é bastante justificado a repercussão que ele está causando lá nas terras da Rainha. O sucesso é tanto que música do Billy Joel voltou para as paradas de single locais, na 29ª posição (o pico anterior da música no país, em 1986, foi 53º).

O Daily Mail, um dos principais tablóides diários do país, com uma circulação de mais de 2 milhões de cópias, até interrompeu a cobertura incessante da vida de Cheryl Cole para fezer uma matéria elogiando efusivamente a campanha que, segundo o jornal, custou 6 milhões de libras (o que, by the way, é mentira. Não tem A MENOR CHANCE de ter sido gasto nem PERTO disso. Mas os tabloides, principalmente os britânicos, são conhecidas pelo exagero e pelo descompromisso com a verdade, então nada surpreendente...).

Em duas semanas, o comercial já foi visto mais de 500 mil vezes no Youtube.

Abaixo, a versão de She's Always A Woman que pode ser ouvida no comercial, na voz de Fyfe Dangerfield (clique aqui para ouvir o original de Billy Joel).



Os anuncios da John Lewis sempre fazem sucesso. A versão de Sweet Child O Mine usado na campanha de Natal do ano passado, por exemplo, vendeu 90 mil cópias. Mas o sucesso desse novo comercial realmente excedeu todas as expectativas.

E, olha, eu sei que esse blog é sobre cultura pop mas como um estudante de publicidade, posso dividir alguns dos meus comerciais favoritos? Posso, né? OK, brigado, vocês são uns amores.

Eu sou um grande fã dos anúncios argentinos. Eles fazem coisas maravilhosas por lá. Esse comercial da Coca, produzido originalmente na Argentina, é uma obra prima (aqui ele traduzido ao inglês). Todos os anúncios da cerveja Quilmes também são fantásticos (exemplos: esse e esse. Em duas ocasiões eles sempre se superam: durante o verão e durante a Copa. O anúncio que eles fizeram para a Copa de 2006 era tão bom que repercurtiu até aqui no Brasil. Os do verão também são muito divertidos: esse por exemplo. No geral, recomendo TODOS os comerciais da Quilmes. Se você entende espanhol "argentino", vai no Youtube e assiste tudo que você não se arrependerá). Esse anúncio da Nextel é otimo. Esse, da Coca Light, resume minha filosofia de vida. Esse da operadora de celular CTI (que agora é Claro) também é bem catchy e divertido. Até comercial de atum é bom. O blog Aires-Buenos compilou, ao longo do tempo, muitos comerciais legais feitos pelos hermanos, vale dar uma conferida.

No momento, minha campanha publicitaria favorita é dos EUA, dos absorventes U by Kotex. Nos comerciais, eles parodiam a maneira utilizada pelas empresas de absorvente para vender seus produtos e o resultado é muito bom:



Esse outro filme da mesma campanha também é ótimo.

Anyway, voltando para cultura pop:



Como mercado musical, o Canadá é completamente ofuscado pelos EUA. Mas muitos dos maiores sucessos da musica se originaram no país: Avril Lavigne (eca), Nelly Furtado, Nickelback (eca eca eca), Michael Buble, Shania Twain, Celine Dion (ew), etc. etc.

Por tanto, assim como os EUA tem o Grammy e a Grã-Bretanha tem os BRIT, os canadenses tem o Juno Award.

Só que, né? Ninguém assiste. Porque quem quer ver os melhores artistas CANADENSES sendo premiados? Boring.

Acontece que esse ano tudo mudou e a premiação, que em geral passa sem pena nem glória, bateu recordes de audiência. O motivo disso? Justin Bieber, é claro.

Sim, a sensação pop de 16 anos, que, como todo mundo sabe, é de origem canadense, foi lá cantar seu smash hit Baby em versão acústica e o país parou para assistí-lo.

A performance do garoto ainda teve um bônus: participação especial do fenômeno do rap Drake que substituiu o verso cantado originalmente por Ludacris por um rapzinho inédito.

O rapper canadense ainda não repercutiu aqui no Brasil mas na América do Norte o garoto de 23 anos é sensação. Ele ficou conhecido pelo público jovem como Aubrey Graham, um dos membros do elenco da novelinha teen Degrassi (que é canadense mas faz mais sucesso nos EUA do que em seu país de origem). Porém, ao resolver se dedicar a música urbana, ele adotou o alias de Drake e, assim como aconteceu com Nicki Minaj, virou uma gigantesca sensação, amado pela juventude, antes mesmo de ter qualquer single oficial lançado, só com base em sua imagem e seus elogiados mixtapes. O seu buzz single Best I Ever Had alcançou a segunda posição no Hot 100 da Billboard e vendeu mais de 2 milhões de cópias nos EUA. Finalmente, mês passado, o garoto lançou seu primeiro single oficial, Over, que será parte de seu álbum de estréia, Thank Me Later (que chega as lojas dia 15 de junho).

Eu gosto de Drake e, sinceramente, acho que Biebs, por mais que ele pareça ainda não ter passado pela puberdade (aos 16 anos!), parece um garoto legal. Não sou grande fã da música dele mas Baby é catchy. Porém a apresentação nos prêmios Juno foi meio boring.



A essa altura, todo mundo já viu mas não tem como não comentar a nova sensação viral. No episódio de domingo passado de Os Simpsons, a vinheta de abertura foi substituida pela população de Springfield fazendo uma interpretação literal de TiK ToK, o gigantesco sucesso de Ke$ha. O resultado é hilário e virou um fenômeno na rede.

(Alias, a Fox tá deletando todos os vídeos do YouTube com uma rapídez assustadora e esse que postei está espelhado para tentar driblar as leis de copyright. Por incrível que pareça, é mais díficil para a empresa detentora dos direitos tirar vídeos espelhados do ar. Vai entender...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu