Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Bizarrices que alcançaram o topo

John & Edward, os gêmeos que foram a grande sensação da edição passada do The X Factor, não conseguiram chegar ao topo das paradas britânicas essa semana. Porém, esses atos igualmente bizarros tiveram mais sorte:

Crazy Frog



Crazy Frog apareceu pela primeira vez nos anúncios da companhia de ringtones Jamster! como mascote da empresa. Na Grã-Bretanha, as propagandas iam ao ar 2,378 mil vezes por dia, muitas vezes mais de uma vez dentro de um mesmo intervalo. A freqüência era tamanha que um dos principais jornais do país, o The Guardian, encomendou uma pesquisa que concluiu que 86% da população já tinha visto o comercial mais de 26 vezes.

No resto da Europa e na Austrália, os comerciais iam ao ar com freqüência igualmente alta, transformando o bizarro bicho azul num personagem enormemente famoso (e odiado).

Finalmente, a Jamster! anunciou que Crazy Frog iria se lançar como cantor. E, quando o primeiro single, Axel F, foi lançado, ele voou para o topo das paradas britânicas.

Além do número 1 no Reino Unido, o single também alcançou o primeiro lugar na Austrália, na Bélgica, na Dinamarca, na França (onde mais de 1 milhão de singles foram comercializados), na Espanha, na Suécia e na Suíça.

O segundo single do Crazy Frog, Popcorn, não obteve o mesmo sucesso e não conseguiu sequer penetrar o top 10 inglês (os frances porém tomaram gosto pelo personagem: Popcorn atingiu o topo por lá e vendeu mais de 500 mil cópias) mas a empreitada musical do personagem até que deu bastante certo: o primeiro CD, Crazy Hits alcançou o quinto lugar nas paradas e obteve até disco de ouro.

Chico



Antes de Jedward, Chico conquistou o coração do Reino Unido com suas bizarras performances na segunda temporada do The X Factor. Na época, o programa não tinha tomado proporções tão absurdamente gigantescas e, por isso, Chico não causou tanta repercussão quanto os gêmeos irlandeses.

Apesar disso, o primeiro single dele, o bizarro It's Chico Time, alcançou o topo das paradas britânicas. Felizmente (ou não), foi o único hit do cantor.

Mr Blobby


Mr. Blobby foi introduzido ao público no programa de variedade Noel's House Party de Noel Edmonds. O personagem era um trambolho com um formato similar a um João Bobo cujo unico talento era, vejam só, cair.

Mr. Blobby aparecia em um quadro de pegadinhas onde ele era apresentado à vítima da vez (sempre uma celebridade) como um personagem de um novo programa infantil que iria gravar uma matéria sobre a profissão do famoso. Porém, tudo que ele fazia era cair em cima das coisas e falar a palavra Blobby repetidamente em diferentes tons e freqüências (porém sempre com a voz robótica).

O personagem virou uma grande sensação e, em 1993, gravou o seu próprio single que, contra todas as expectativas, ultrapassou a balada Babe da boyband Take That (a sensação pop do momento) e conquistou o primeiro lugar na semana de Natal, a semana mais cobiçada de todas por registrar as vendas mais altas.

Teletubbies



Quem não lembra dos Teletubbies? Os programa pré-escolar causou sensação no fim dos anos 90, vendendo quantidades absurdas de brinquedos e fazendo a repetitiva música de abertura ("Tinky Winky, Dispy, Lala, Po. Teletubbies, teletubbies...") ficar presa na cabeça de milhões de pessoas mundo afora.

No fim de 1997, a canção foi lançada como single no Reino Unido. A música foi direto para o topo (onde se manteve por 3 semanas) e ficou nas paradas por 29 semanas. Todos apostavam que o single conseguiria o primeiro lugar na semana de Natal (as casas de aposta davam como certo a vitória) mas, no fim das contas, o topo foi para a balada Too Much das Spice Girls que conseguiram seu segundo Christmas Number One (no fim, elas conseguiram três Christmas number ones consecutivos: 2 Become 1 em 1996, Too Much em 1997 e Goodbye em 1998).

Apesar de ter perdido o topo na semana mais importante do ano, Teletubbies Say Eh-Oh vendeu 1.3 milhões de cópias e é um dos singles mais vendidos de todos os tempos no país.

Bob the Builder



Assim como os Teletubbies, Bob o Construtor é um programa pré-escolar de enorme sucesso. Em 2000, a pegajosa música de abertura do programa, Can We Fix It? (Podemos Construir?), foi lançada como single. O objetivo: conseguir o primeiro lugar na semana de Natal. A batalha da vez foi com a boyband Westlife (que iria lançar a balada What Makes a Men).

Diferente dos Teletubbies, Bob o Construtor foi bem sucedido em sua missão e saiu vitorioso na batalha pelo Christmas Number 1 de 2000.

Com 1.4 milhões de cópias vendidas, o single foi o maior vendedor do ano e é um dos singles mais vendidos de todos os tempos na Grã-Bretanha. A música também alcançou o topo na Austrália.



Em 2001, Bob conseguiu um segundo primeiro lugar com sua versão de Mambo Number 5.

The Stonk



Uma boa maneira de fazer sua música virar uma gigantesca sensação: acompanhe-a com uma coreografia. Funcionou para o Créu, para a Dança do Quadrado, o Ragatanga, a Macarena e o Crank That do SouljaBoy.

Em 1991, a dance craze que tomou conta da Grã-Bretanha foi a cômica The Stonk criado pelo guitarrista do Queen, Brian May, em associação com a dupla de comediantes Hale and Pace.

A música foi para o primeiro lugar e vendeu milhares de cópias mas foi tudo por uma boa causa: arrecadar dinheiro para o projeto beneficente da BBC, Comic Relief.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu