Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Causou em 2009 (parte 2)

Michael Jackson



Na década de 80, Michael Jackson se transformou na maior estrela do mundo. Um dançarino soberbo, com músicas catchy e divertidas e vídeo clipes impressionantes, ele alcançou um nível de fama experimentado por pouquíssimas pessoas (Beatles, Elvis Presley) e foi nomeado justamente como o Rei do Pop.

Porém, o tempo foi passando, as cirurgias plásticas foram ficando mais assustadoras, as acusações de abuso sexual foram ficando cada vez mais constantes e todo mundo o abandonou. Aos poucos, Michael foi enlouquecendo e, na última decada, seu talento foi esquecido e ele se transformou num freak a la Marylin Manson.

O mundo se lembrou que ele ainda era o Rei quando, apesar de tudo, os 50 shows que ele planejava fazer na O2 Arena em Londres se esgotaram em minutos.

Porém, em junho, Michael Jackson morreu sob circunstâncias meio misteriosas. E, ao perder um dos astros mais amados de todos os tempos, o mundo se deu conta do que perdeu.

Em 2009, só se falou de Michael Jackson. As músicas dele voltaram a alta rotação, todo mundo correu para comprar seus álbuns e DVDs, o filme documentando os ensaios de sua turnê que nunca aconteceu quebrou recordes de bilheteria e uma nova geração descobriu o Rei do Pop e sua genialidade.



Beyoncé & Jay-Z



O power couple do hip-hop, Beyoncé e Jay-Z causaram muito ao longo de 2009.

No fim de 2008, Beyoncé já estava a mil: Single Ladies já era um grande fenômeno, com o vídeo musical hipnotizando milhões de pessoas mundo afora (inclusive Kanye West).

E, durante 2009, Beyoncé seguiu firme e forte: os singles Halo e Sweet Dreams foram sucessos globais, o CD vendeu milhões e ela foi indicada para nada menos que 10 Grammys, um recorde para uma cantora pop.

No Brasil especificamente a texana alcançou um sucesso que faz anos não era alcançado por nenhum artista internacional. Halo, impulsionado pelo fato de ter sido escolhida como parte da trilha sonora da novela das 8, Caminho das Índias, foi a música mais tocada pelas rádios em 2009. O seu CD, I Am Sasha Fierce, vendeu 250 mil cópias, obtendo disco de diamante, um resultado impressionante para o mercado nacional quase morto. Para agradecer ao carinho, Beyoncé encerrará sua turnê global com quatro shows no país.

Já Jay-Z também teve um ano maravilhoso: seu CD, The Blueprint 3, estreou no topo nos EUA, com vendas altíssimas. Foi o 11º número 1 do rapper e, com isso, ele empatou com Elvis Presley como o artista com mais álbuns chart-toppers no país (e ninguém duvida que, com o próximo CD, ele quebrara esse recorde).

Além disso, o CD teve críticas extremamente positiva, consolidando o papel dele como o "Papa do Rap". E, claro, o álbum originou dois gigantescos sucessos globais: Run this Town e, o mais marcante, Empire State of Mind.



Megan Fox
.




O segundo filme da franquia Transformers foi o filme com a maior bilheteria do ano nos EUA (e terceiro no mundo, depois de Harry Potter e Ice Age) e transformou Megan Fox no principal sex symbol de 2009. Apesar do seu filme solo Jennifer's Body (escrito pela hyped Diablo Cody, roteirista de Juno) ter fracassado, Fox foi convidada para abrir a temporada do Saturday Night Live (algo reservado para estrelas de enorme porte), foi capa de absolutamente todas as revistas e foi nomeada incontáveis vezes como "a nova Angelina Jolie".

Com sua cara de poucos amigos e entrevistas meio inconseqüentes, Megan atraiu uma quantidade enorme de haters mas, como sua comunidade no Facebook não deixa duvidas, também fez milhões caírem de amor por ela (com quase 6 milhões de fãs, ela é mais popular no site de relacionamentos do que Gaga, Britney, Rihanna e Beyoncé).



Justin Bieber



Jonas Brothers são coisas do passado. Justin Bieber, 15 é o novo pin-up de garotas de 11 anos mundo afora, gerando histeria e até revoltas.

Bieber surgiu no Youtube, onde um video dele fazendo um cover do Ne-Yo virou um gigantesco sucesso viral. O burburinho foi tamanho que tanto Justin Timberlake quanto Usher foram atrás do menino querendo contrata-lo.

Bieber optou por Usher e ninguém duvida que ele fez a escolha certa: hoje em dia, não existe nenhuma celebridade mais popular entre as pré-adolescentes.

O mais impressionante de tudo: diferente de Miley, Jonas, Demi Lovato e Selena Gomez, outras uber-stars entre as crianças, ele não tem nenhum tipo de vinculação com o Disney Channel.

Em novembro do ano passado, uma aparição dele num shopping de New Jersey foi tão concorrida que a performance teve que ser cancelada por razões de segurança. Resultado? Uma revolta que deixou alguns fãs levemente feridos e levou o V.P. da gravadora de Bieber para a prisão.

O seu primeiro single, One Time, já vendeu mais de 1 milhão de cópias nos EUA e alcançou o top 20 da Billboard. O seu segundo, One Less Lonely Girl, também não fez feio. Seu EP, My World, estreou em sexto e já vendeu mais de 500 mil cópias até o momento.

E isso tudo é só o começo. Bieber prometer continuar crescendo em 2010. E vamos torcer para que ele cresça não apenas no sentido metafórico, né? Porque apesar dele ter 15 anos, quase 16, ele parece estar LONGE de alcançar a puberdade.

Sandra Bullock



Quem diria que só 15 anos depois de Speed (Velocidade Máxima), Sandra Bullock iria alcançar o ápice?


E o mais impressionante: Bullock conseguiu isso aos 45 anos, ou seja, como uma velha caquética no mundo hollywoodiano.

A sua comédia romântica, The Proposal (A Proposta), foi um sucesso de critica e de bilheteria, arrecadando 315 milhões de dólares e se tornando um dos filmes do gênero de maior sucesso de todos os tempos.

Mas mais impressionante foi o sucesso de The Blind Side. O drama, baseado numa história real, é sobre uma mulher do interior que adota um adolescente e ajuda a transforma-lo num dos jogadores de futebol americano mais bem-sucedidos de todos.

O filme arrecadou 215 milhões de dólares apenas nos EUA (mais do dobro do que The Proposal conseguiu domesticamente) e a performance de Sandra foi altamente elogiada com muitos apostando que ela pode levar o Oscar de Melhor Atriz esse ano.

Como se isso tudo não fosse o suficiente, The Blindside é o filme com uma unica atriz como headliner que mais arrecadou na história. Explicando melhor: o poster de The Blindside trazia apenas um nome: o de Sandra (diferente de The Proposal, por exemplo, que tinha o nome de Sandra e de Ryan Reynolds) e é a primeira vez que um filme que tem apenas uma mulher como headliner ultrapassa os 200 milhões (e o filme ainda nem foi lançado internacionalmente!).

Com dois gigantescos sucessos, o fracasso de All About Steve, filme que ela produziu e estrelou, que teve as piores críticas do ano e arrecadou apenas 33 milhões de dólares, foi completamente perdoado.



Black Eyed Peas



Os Black Eyed Peas sempre colocaram todo mundo para dançar com seus hits. Mas nunca eles tinham obtido sucessos tão devastadoramente grandes: I Gotta Feeling foi o maior hit do ano. O segundo maior? Boom Boom Pow. E, claro, Meet Me Halfway também alcançou o topo no mundo inteiro.

O grupo, liderado por Will.I.Am e Fergie, foi o unico que rivalizou com Gaga pelo monopólio das pistas de danças e estações de rádios.

Rihanna



Depois de anos com sucessinhos (S.O.S., Pon de Replay, Unfaithful), Rihanna estourou de vez em 2008: Umbrella, Please Don't Stop the Music, Take a Bow e Disturbia foram sucessos mega ultra gigantescos e tudo que a caribenha cantava ia direto para o topo das paradas.

Porém, apesar de ter se tornado uma das maiores pop stars do mundo, ela sempre conseguiu manter sua vida relativamente livre de escândalos. A unica informação sobre sua vida pessoa que causava certo rebuliço era seu namoro (nunca confirmado oficialmente) com Chris Brown que, assim como ela, era jovem, bonito, extremamente talentoso e uma das estrelas mais promissoras da musica.

O ano de 2009 mal tinha começado quando a maior celeb story do ano aconteceu: Chris espancou Rihanna nas vésperas da cerimônia do Grammy, onde os dois iriam cantar juntos.

As informações não eram muito claras até que uma foto de Rihanna com a cara completamente destruída e inchada vazou e chocou o planeta.

Pronto, como a própria descreveu, "eu fui dormir Rihanna e acordei como Britney Spears". Paparazzos a seguiam por todos os cantos, helicópteros circundavam sua casa.

Sua decisão de voltar para Brown -- ambos foram vistos sorridentes andando de jet-ski numa mansão em Miami pertencente a Diddy -- causou polêmica e, pouco depois, a interprete se separou oficialmente dele.

Ao longo do ano, Rihanna se manteve low profile, não dando nenhuma entrevista ou informação sobre o assunto.

Porém, no final do ano, Rated R, seu quarto álbum, chegou as lojas. E apesar de não ter sido um sucesso de cara, provou que a jovem interprete não tinha medo de arriscar: tinha um som dark e maduro, completamente diferente do que já tinhamos ouvido antes. A crítica aprovou: o álbum foi enormemente elogiado e foi escolhida pela Entertainment Weekly como o CD do ano.

Rihanna também deu sua primeira entrevista para a respeitada jornalista Diana Sawyer e impressionou a todos ao se mostrar extremamente lúcida e honesta, dando respostas diretas e seguras e respondendo tudo sem duvidar.

E agora, Rihanna quer virar a página. E, em 2010, com Chris Brown e Umbrella no passado, ela começa um novo capítulo em sua carreira.



Dr Luke

Dr. Luke foi para 2009 o que o Timbaland foi para 2006. Porém existe uma diferença entre os dois mega-produtores: enquanto Timbaland não tinha medo de aparecer na frente das câmeras, estrelando em clipes juntos com artistas de grande porte e inclusive lançando seus próprios CDs, Dr. Luke trabalha estritamente nos bastidores. Portanto, muita gente nunca ouviu falar dele.

Mas, mesmo sem saber quem ele é, pode ter certeza que você já ouviu MUITAS músicas dele: foi ele que produziu Girlfriend, da Avril Lavigne, Hot and Cold e I Kissed A Girl, da Katy Perry e So What?, da Pink. Em 2009, ele foi responsável por nada menos do que cinco number 1 hits: Circus, da Britney Spears, My Life Would Suck Without You, da Kelly Clarkson, Party in the USA, da Miley Cyrus, Right Round, do Flo-Rida e TiK-ToK, da Ke$ha. Alias, é o Dr. Luke o homem responsável por toda a carreira de Ke$ha, a aposta para 2010, tendo contratado-a e produzido todo seu CD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu