Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Retrospectiva UK parte 3: Musical scene (2)




Sem espaço para duvidas, a maior revelação do ano foi Florence & the Machine. Apesar do nome de banda, a ruivissima Florence Welsh, de apenas 23 anos, é uma cantora solo. O seu primeiro CD, Lungs, foi um dos maiores sucessos de crítica do ano.

Mas, mais importante do que críticos, Florence & the Machine agradou o público. O álbum estreou em segundo lugar, onde ficou durante cinco semanas consecutivas e encerrou 2009 com 515 mil cópias comercializadas . Além disso, o single Rabbit Heart (Raise It Up) conseguiu penetrar o top 20, alcançando o 12º lugar.

Os pontos fortes da cantora é seu estilo e imagem imponente, sua poderosissíma e unica voz, o som peculiar e suas letras inteligentes.

Florence entrou em 2010 com mais força do que nunca: o single You've Got the Love, dados preliminares indicam, estreará em quinto lugar, uma posição altíssima para alguém que nunca tinha sequer conseguido penetrar o top 10. Impulsionado pelo sucesso da música, Lungs volta, depois de 6 meses, para o segundo lugar nas paradas de CD.

A banda também quer um pedaço da American pie e já teve aparições high profile na TV nos EUA, inclusive uma performance no David Latterman.

O ano de 2009 foi generoso com Florence mas tudo indica que a máquina estará mais forte que nunca em 2010.



Pixie Lott, uma londrina de apenas 18 anos de idade, foi outra das grandes revelações do ano.

Pixie parece ter sido criada em laboratório com o objetivo de se tornar um sucesso entre garotas adolescentes: ela tem uma personalidade divertida e approachable, tem todo uma vibe de icone fashion, sempre vestida nas últimas tendências (com um toque de lolita, que nunca faz mal a ninguém) e suas letras falam sobre amores jovens e temas identificáveis.

O seu estilo musical também parece ter sido milimetricamente planejado: ao invés do pop genérico que artistas teen costumam cantar, suas músicas tem elementos soul retro (lembrando atos britânicos que venderam milhões nos últimos anos como Duffy, Adele e Amy Winehouse) e também toques que remetem a Lily Allen, outra cantora inglesa que vendeu impressionantemente bem mundo afora recentemente.

Até seu nome artístico parece ter sido inventado por um grupo de executivos (na verdade, ela se chama Victoria).

É claro que seus empresários são rápidos em negar o fato dela ser uma artista fabricada, lembrando que Pixie, vejam só, escreve suas próprias músicas. Mas vamos ser francos: nos dias de hoje, quem não escreve suas próprias canções? Isso é protocolo, quase todos os artistas ganham créditos como compositores, independente do fato deles terem colaborado ou não no processo criativo. E o fato dela ter escrito para outros artistas? É, isso também não significa muita coisa, os demos que não entraram no CD devem ter sido passados adiante e o nome dela seguiu creditado (ou não, vai ver eu estou sendo injusto e ela realmente é uma talentosa compositora).

Porém, o fato de, em apenas 1 ano, Pixie já ter se tornado garota propaganda de várias marcas não deixa de ser um pouco suspeito. Ela anuncia os relógios Baby G da Casio e também os celulares Pink Illuvial da Nokia ("eu passo horas no meu celular e é importante para mim que ele seja fofo. Todos os telefones dessa linha são demais - estilosos e, ao mesmo tempo, super femininos". É, bem autêntica mesmo).

Mas, independente do fato dela ter sido milimetricamente planejada ou não, o fato é que, em 2009, ela chegou fazendo barulho: seus dois primeiros singles, Mamma Do e Boys & Girls, alcançaram o primeiro lugar nas paradas de single britânicas e seu CD estreou na sexta posição, já tendo alcançado disco de plátina por 300 mil cópias vendidas. Além disso, apesar de sua carreira ter menos de 1 ano, ela já ganhou dois MTV Europe Music Awards como Push Artist (não sei bem o que é isso. Supostamente, é revelação mas já tem uma categoria de Best New Act) e Melhor Ato Britânico ou Irlandês.

Porém, Pixie quer conquistar o mundo. Ela até tem seu próprio avião que ela usa para promover seu CD por toda Europa. No Brasil, suas músicas já estão em rotação nas rádios jovens e, em breve, ela também será lançada no principal mercado de todos: os Estados Unidos.

Não existe a menor duvida que os empresários musicais tem esperança que Pixie se torne um sucesso mundial (caso contrário, acho que ela não ganharia aquele avião). Se vai conseguir ou não nós ainda não sabemos. Mas, no Reino Unido, pelo menos, ela já é um household name.



La Roux é uma duo de synthopop formado pela vocalista Elly Jackson e o produtor Ben Langmaid.

Eles se tornaram conhecido quando a música In for the Kill virou um gigantesco sucesso. Apesar do single nunca ter alcançado o primeiro lugar, foram vendidas impressionantes 670 mil cópias do single.

Bulletproof, o segundo single, também foi um sucesso, alcançando o topo das paradas e atingindo vendas superiores a 430 mil copias.

Com duas músicas de sucesso, o álbum homônimo do duo conseguiu chegar ao segundo lugar nas paradas de CD, obtendo disco de platina.

Com seus hits dançantes, seus clipes divertidos e a imagem chamativa de Elly, o La Roux tem conquistado pistas de danças e paradas musicais mundo afora, não se limitando apenas ao Reino Unido.

Consolidações



Paolo Nutini. Esse cantor e compositor escocês de 22 anos estreou em 2006, ganhando atenção do público graças ao sucesso do single Last Request. Os críticos o amavam e seu rostinho bonito e voz poderosa o ajudaram a virar um pin-up para mulheres Grã-Bretanha afora.

Em 2009, Paolo lançou seu segundo CD, Sunny Side-Up, e se consolidou como um dos maiores sucessos da música britânica atual. O álbum, lançado em maio, vendeu 810 mil cópias, sendo o oitavo CD mais vendido do ano.

Com seu segundo álbum, ao invés de tentar recriar o sucesso do seu primeiro CD, ele investiu em um som novo. E deu bastante certo: o disco foi um sucesso comercial e de crítica.

Em 2010, Paolo não perdeu força. Depois de 8 meses, seu álbum voltou para o primeiro lugar na parada de CDs, sendo o primeiro número 1 da nova decada.



Lily Allen. Em 2006, essa garota de 24 anos chegou fazendo barulho com sua música pop irreverente e inovadora. Seu primeiro CD, Alright, Still, vendeu milhões no mundo inteiro e, graças a falta de papas na língua da moça, também virou um alvo da indústria de fofoca (da qual ela tem tentado se afastar nos últimos anos).

Em 2009, depois de três anos, ela voltou com seu segundo CD, It's Not Me, It's You e provou que não era uma one hit wonder. O álbum foi um grande sucesso e ela emplacou dois top 5 hits, The Fear (que alcançou o primeiro lugar e vendeu 500 mil cópias) e It's Not Fair. Além disso, a música Fuck You
também causou grande repercussão e a transformou num ícone gay, algo almejado por qualquer cantora pop (Lady Gaga, Britney Spears e Madonna que o digam).

Assim como Paolo, Lily foi esperta na hora de produzir seu novo álbum: ela manteve sua essência, pop divertido e de qualidade, porém não repetiu o estilo de seu primeiro álbum.

Os CDs mais vendidos de 2009 no Reino Unido:



1. I Dreamed a Dream - Susan Boyle (1.63 milhão)
2. The Fame - Lady Gaga (1.39 milhão)
3. Crazy Love - Michael Buble (1.2 milhões)
4. The E.N.D. - Black Eyed Peas (1.09 milhão)
5. Only by the Night - Kings of Leon (1.08 milhão. Total: 2.3 milhões)
6. JLS - JLS (970 mil)
7. I am Sasha Fierce - Beyoncé (821 mil. Total: 1.1 milhão)
8. Sunny Side Up - Paolo Nutini (810 mil)
9. It's Not Me, It's You - Lily Allen (779 mil)
10. Reality Killed the Video Star - Robbie Williams (753 mil)
11. 3 Words - Cheryl Cole (631 mil)
12. The Essential - Michael Jackson (609 mil. Total: 1 milhão)
13. The Circus - Take That (566 mil. Total: 2.1 milhões)
14. Up to Now - Snow Patrol (565 mil)
15. Echo - Leona Lewis (562 mil)

Os singles mais vendidos de 2009



1. Poker Face - Lady Gaga (882 mil)
2. I Gotta Feeling - Black Eyed Peas (848 mil)
3. Just Dance ft. Colby O'Donis - Lady Gaga (767 mil)
4. Fight for this Love - Cheryl Cole (746 mil)
5. The Climb - Joe McElderry (716 mil)
6. In for the Kill - La Roux (670 mil)
7. Boom Boom Pow - Black Eyed Peas (616 mil)
8.
Killing in the Name Of - Rage Against the Machine (596 mil)
9.
Bad Boys ft. Flo-Rida - Alexandra Burke (576 mil)
10. Meet Me Halfway - Black Eyed Peas (569 mil)
11. Number 1 ft. N-Dubz - Tinchy Stryder (547 mil)
12. Sexy Bitch ft. Akon - David Guetta (517 mil)
13. Use Somebody - Kings of Leon (497 mil. Total: 712 mil)
14. The Fear -Lily Allen (484 mil)
15. Bonkers - Dizzee Rascal (480 mil)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu