Depois de anos sendo um pop culture junkie, finalmente resolvi canalizar minhas energias em algo útil (assim, dependendo da sua perspectiva). Esse blog tem, portanto, o objetivo de documentar quem está causando na cultura pop mas não comentando do óbvio e sim antecipando tendências e o que está por vir. E-mail me @ tacausando@gmail.com. Mais sobre a nossa proposta.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Cover Girls and Boys: Edição de Abril/2010

Yeah, uma novas sessão fixa do Tá Causando: Cover Girls and Boys. Nela, damos uma olhadinha em quem são as estrelas que, nesse mês, estampam as capas das revistas mais high profile do mundo (em suas versões made in USA) e o motivo delas estarem sendo contempladas com essa honra.

Aparecer na capa de uma dessas publicações, por mais vagabundas que elas possam parecer (*ahem*Cosmopolitan*ahem*), é um sinal que, pelo menos esse mês, você não é só mais um famoso, você é uma full fledged celebrity, levada a sério e capaz de fazer milhões de revistas voarem das bancas de jornal (ou, pelo menos, é isso que os editores esperam).

Embora essa seja a "edição de Abril/2010" dessa sessão, as revistas sempre chegam as bancas no mês anterior. Ou seja, todas essas publicações que eu comento aqui saíram em março. A maior parte em meados de mês, algumas no começo e outras no fim mas podem ter certeza que nenhuma edição de abril vai sair a venda no mês de abril .

Para tudo ficar organizado, essa sessão vai estar dividida entre: revistas femininas (com dois sub itens: adolescente e fitness), masculinas, gays, unissex e art.

Revistas Femininas

A primeira coisa sobre revistas femininas: elas são BFs das celebridades. Algumas, como a W, podem até trazer matérias mais profundas e detalhadas mas as entrevistas de capa dessas revistas são sempre são bem cor-de-rosa, seguras e raramente trazem informações novas ou chocantes.


  • A Nylon é, entre as revistas femininas, a publicação com o público alvo mais jovem: garotas no fim da adolescência e na faixa dos 20 anos. Seu assunto principal é moda e cultura pop e ela exibe roupas e editorias mais edgy, jovens e alternativos que as concorrentes. A revista também é uma das que mais cresce: em 2002, ela tinha uma circulação de 250 mil cópias, hoje em dia são mais de 600 mil.

    Na capa desse mês, Zoe Saldana, protagonista de Avatar (que, no filme, não aparece nenhuma vez em carne-e-osso, só em sua versão Na'avi). Alguns fragmentos da reportagem de capa estão disponíveis no site da revista.

  • Eu acho a Cosmopolitan (conhecida como Nova no Brasil) o cumulo da trashyness. Não pelo fato dela ser obcecada com sexo e sim pela maneira a qual ela aborda o assunto, com dicas bem vulgares, recicladas e repetitivas, sempre focada no prazer dele, não no da leitora. As chamadas da capa já são bem risíveis: 50 Coisas Para Você Fazer Nua (Arrumar a casa nua? Lavar os pratos nua?), Como Decodificar a Linguagem Sexual Dele, Sexualize Seus Olhos e A Matéria Sobre Sexo Que Nós Não Podemos Descrever Aqui.

    Mas, independente da minha opinião, o método funciona: a Cosmopolitan é a revista feminina mais vendida do mundo e a versão americana tem uma circulação de 3 milhões de cópias por mês. Por isso, qualquer celebridade jovem adoraria poder estampar a capa da publicação.

    Esse mês, quem tem essa honra é a maior cantora pop da atualidade e ícone feminista Lady Gaga (ícone feminista na capa da Cosmo não deixa de ser irônico).

    Mês após mês, a cover girl da revista aparece com um gigantesco sorriso, roupa básica (jeans e regata) e com mãozinha na cintura. Mas é claro que a capa de Gaga não iria seguir o caminho convencional: nada de sorriso, nada de jeans e regata (Gaga preferiu lingerie) e nada de mãozinha na cintura.

    Na entrevista ela fala sobre suas ambições loucas, sobre um ex-namorado que a disse que ela nunca alcançaria o sucesso e sobre a importância de nunca desistir de seus sonhos. Os scans completos da matéria de Gaga podem ser encontrados aqui.

  • A revista Lucky tem um conceito diferente das outras publicações de moda: ela serve como um shopping guide, ou seja, ao invés de belos editorias e matérias temáticas, ela simplesmente mostra as últimas novidadas das principais lojas (sem nenhuma modelo, só centenas de roupas em um fundo branco) e tem como objetivo auxiliar as leitoras na hora das compras.

    Seja como for, eu meio que tenho pena da Lucky. Porque, apesar de ter uma circulação de 1 milhão de cópias por mês, ela parece ter dificuldades para conseguir estrelas decentes para estampar a capa.

    Explico: é compreensível que nem sempre a Blake Lively ou a Leighton Meester estejam disponíveis para fazer a capa da revista. E, já que Gossip Girl é o programa cool da televisão, talvez seja necessário chamar as outras garotas vez ou outra.

    O problema é que não é a primeira vez que Jessica Szohr, a Vanessa, aparece na capa da Lucky, é a SEGUNDA. E em menos de 1 ano. Levando em conta que o personagem dela é quase universalmente odiado e que a atriz não causa quase nenhum interesse, acho meio difícil engolir que ela seja uma maravilhosa vendedora de revistas...


  • A Allure, com uma circulação de 1 milhão de cópias por mês, é uma revista totalmente focada em cosméticos.

    Esse mês, a cantora country e ganhadora da sexta temporada de American Idol Carrie Underwood é a capa. Carrie, junto com Kelly Clarkson, é uma das poucas ganhadoras de Idol que obteve sucesso após o reality.
  • Quando o assunto é moda, não existe maior referência do que a Vogue, revista que a toda poderosa Anna Wintour comando com mão de ferro. E quando o assunto é top model, não existe nenhuma melhor representante do que nossa compatriota Gisele Bundchen. Esse mês, as duas instituições fashion se encontram mais uma vez, com Gisele sendo a cover girl da edição de abril.

    Na entrevista (que pode ser conferida por inteiro aqui), Gisele promove sua nova linha de skin care ecológica Seeja e fala, pela primeira vez para imprensa estado-unidense, sobre seu filho, Benjamin.
  • A Elle traz o fenômeno country Taylor Swift, 20 (ela é apenas 3 anos mais nova do que Gaga) na capa. E, que enorme surpresa, ela está usando um vestido com brilho!

    Eu lembro perfeitamente do presidente da gravadora dela dizendo que, depois dos Grammy's, Swift ia desaparecer da mídia por um tempo para não se super-expor mas parece que eles não estão cumprindo isso muito a risca...

    Na entrevista, a interprete e compositora fala sobre ser uma boa role model, como sua vida amorosa inspira todas suas músicas ("uma decepção vale uma música, um coração partido um CD inteiros") e escolhe Taylor Lautner, seu ex namorado de 17 anos, como alguém que ela considera "very hot". Mais fragmentos da entrevista podem ser lidos aqui.

  • A Glamour é a revista feminina com a segunda maior circulação: 2.5 milhões.

    O público-alvo é parecido com a do Cosmo: mulheres jovens. Porém, diferente da concorrente, a Glamour não tem como tema principal apenas sexo e comportamento, também dando grande foco a moda, beleza e outros assuntos de interesse geral.

    Esse mês, a revista oferece três opções de capa: Leighton Meester (estrela de Gossip Girl), Amanda Seyfried (atualmente em cartaz com Dear John e Chloe) e Zoe Saldana (Avatar). Você pode ler fragmentos das três entrevistas aqui.



  • Enquanto a Cosmopolitan sempre escolhe jovens celebridades para suas capas, a Marie-Claire costuma optar por mulheres mais maduras e estabelecidas.

    Esse mês, a modelo alemã Heidi Klum estampa a capa da revista. Assim como Gisele, Heidi transcendeu o rotulo de "modelo" e, hoje em dia, é considerada uma celebridade nos EUA. Ela ficou famosa depois de ser contratada como uma das Angels da Victoria's Secrets e se consolidou depois que o seu reality show, Project Runway, se transformou num enorme sucesso.

    Por coincidência (not), a Marie Claire é uma das parceiras do reality de moda. E, na edição desse mês, onde Heidi discute seu bebê e sua linha de skin care (parece familiar?), as roupas foram todas desenhadas pelo ganhador da última temporada de Project Runway.
  • Com um mix de celebridades, moda e beleza, a InStyle, conhecida como Estilo no Brasil, é um dos maiores sucessos editoriais dos últimos anos, com uma circulação de 2 milhões de cópias nos EUA.

    Esse mês, Gwen Stefani é a capa da revista que, em seu site, disponibiliza um glimpse da reportagem.

    Não sei porque Gwen está na capa de uma revista já que, no momento, ela não tem nenhum CD para promover mas enfim... ela tem uma linha de roupa, L.A.M.B. Vai ver é isso que ela tem que vender? Ou vai ver é só para lembrar o público que ela existe? Who knows...

    E, alias, depois do susto na realização que apenas 3 anos separa a idade de Swift e de Gaga, outro choque: Gwen Stefani tem 40.

  • A capa da tradicional revista de moda Harper's Bazaar é Demi Moore, outra celebridade que não tem nada, a não ser sua própria existência, para promover. E, PQP, a galera do Photoshop meio que exagerou no airbrushing, né?

    Você pode ler fragmentos da entrevista aqui. Demi fala sobre seu casamento com Ashton Kutcher, 20 anos mais novo, sua obsessão por Jersey Shore e a controversa capa da W (que, ironicamente, acusaram de ter sido exageradamente photoshopada). Além disso, ela posa para uma uma sessão de fotos baseado em Alice no País das Maravilhas.

    Alias, a Harpers ganha o prêmio de revista com as escolhas de capa mais aleatórias: um mês Miley Cyrus, no outro Kate Moss, no outro Demi Moore.


  • Esse mês, a W, revista feminina super cheia de luxo e glamour, irá bombar: Jennifer Aniston, a celebridade que mais vende revista nos EUA (pois é) e Gerard Butler, seu rumored beau, são a capa e recheio da publicação, com um ensaio super hot fotografada pelo badalado Steven Klein, o fotografo oficial da revista. Você pode ver algumas fotos no site da revista.

    O duo aparece junto para promover o filme The Bounty Hunter, que acaba de estrear nos EUA (com críticas horrorosas btw).

    Ironicamente, para promover Mr. & Ms. Smith, Brad Pitt e Angelina Jolie foram fotografados por Klein para a mesmissima W em 2005, o primeiro ensaio oficial do power couple.
  • Com Avatar quebrando todos os recordes, só deu Zoë Saldaña esse mês. A atriz de 33 anos também aparece na capa da Essence, uma revista feminina voltada a mulheres negras.

  • A Seventeen é, desde os anos 50, a principal revista adolescente dos EUA com matérias sobre moda, beleza e comportamento. A revista tem uma circulação de 2 milhões de cópias por mês. A capa da nova edição é Nina Dobrev, protagonista do seriado Vampire's Diary.

    Exibido pela CW, o programa é um grande sucesso e é mais uma prova que, atualmente, qualquer coisa com vampiros é garantia de sucesso (Crepúsculo, True Blood, etc). Fragmentos da entrevista e algumas fotos podem ser vistas aqui.

  • A versão adolescente da Vogue, Teen Vogue, traz Miley Cyrus na capa. Dentro da revista, um ensaio da cantora e atriz em Paris junto com o seu co-star e namorado Liam Hemworth. Os dois estrelam The Last Song, o primeiro papel de Miley fora da franquia Hannah Montana.

    É a segunda capa de Miley para a Teen Vogue e, no site oficial da revista, é possível conferir um preview do artigo.
  • Ellen Pompeo, a protagonista de Grey's Anatomy, aparece na capa da revista de fitness Self.

    A atriz, que acabou de ter um bebê, divide com as leitoras como ela perdeu o peso com tanta rapidez. O site Grey's Brazil disponibiliza scans da matéria.
  • A comediante Chelsea Handler, que apresenta o talk-show Chelsea Lately no E! e cujo terceiro livro, Chelsea Chelsea Bang Bang, acaba de estrear no topo da lista dos mais vendidos é a capa da Shape, a revista de fitness mais vendida dos EUA com 1.7 milhões de cópias por mês.

    A matéria completa com a Chelsea, onde ela revela seu fitness plan, pode ser lida aqui.

Geral

Diferente das publicações femininas, essas revistas trazem matérias longas e extremamente bem pesquisadas, principalmente a Vanity Fair. As entrevistas com celebridades não são meramente ferramentas de promoção e realmente costumam traçar um bom perfil das personalidades.


  • Na Vanity Fair, Michael Douglas aparece na capa para promover Wall Street 2: Money Never Sleeps que deveria estrear esse mês mas teve seu lançamento adiado. Douglas fala pela primeira vez sobre seus dramas familiares: sua relação tumultuosa com o pai (Kirk Douglas), o irmão que morreu de overdose e o filho acusado de tráfico de drogas. A reportagem completa pode ser lida aqui.

    A entrevista é acompanhada por uma sessão de fotos feita por Annie Lebovitz, uma das fotografas mais respeitadas do mundo. O tema? Dinheiro, é claro, para fazer a conexão com o filme que ele está promovendo.

    Annie tem contrato com a Vanity Fair e fotografa todas as capas da revista. Ela também freqüentemente fotografa para a Vogue.
  • A Ebony é uma revista tradicionalissima, voltada para o público afro-americano. Todas as principais personalidades negras -- de Obama a Beyoncé -- apareceram na capa da revista, que trata sobre temas gerais e tem uma circulação de 1.3 milhões de cópias.

    Esse mês, a cantora de soul britânica Sade Adu, cujo último CD estreou com vendas recordes nos EUA, ilustra a capa da revista. E, pqp, essa mulher não envelhece! Ela tem, acreditem ou não, 51 ANOS!

    A capa é impactante por dois motivos: em primeiro lugar, Sade raramente dá entrevistas. Além disso, ela nunca aparece com o cabelo solto.
  • A grande estrela das Olimpíadas de Inverno foi o snowboarder Shaun White de 23 anos. Por isso, a Rolling Stone escolheu o atleta para a estampar a capa de abril da revista. É a segunda capa de Shaun para a revista e, dessa vez, ele foi fotografado pelo controverso Terry Richardson.

    É interessante analisar a escolha de fotografo das revistas pois isso diz muito sobre a imagem que a publicação está tentando passar. A Vogue e a Vanity Fair, por exemplo, tem o interesse de mostrar celebridades de maneira impactante e luxuosa em cenários belíssimos mas não óbvios e, por isso, gastam uma baba na Annie Lebouvitz. Já a W gosta de luxo e tensão sexual e, portanto, contam com o serviço de Steven Kline. A Rolling Stone , por sua vez, quer ensaios jovens, polêmicos e sensuais e, por isso, optam por Terry Richardson.


    Masculinas
Não, revista masculina não significa necessariamente "revista de mulher pelada". Assim como as mulheres tem revistas de assuntos gerais, que tratam de seus interesses, os homens também tem publicações nesse estilo voltadas a eles.

Algumas revistas masculinas, como a Esquire, a GQ e a Details, são bem prestigiosas e conhecidas por ter artigos bem escritos. Em geral, as entrevistas com celebridades não são uma mera ferramenta profissional e costumam ser interessantes e, assim como a Vanity Fair, traçam um bom perfil da personalidade em questão.


  • A capa da GQ é Shia LaBeouf, o ator jovem mais promissor da atualidade. Assim como Michael Douglas, Shia está promovendo o filme Wall Street 2: Money Never Sleeps.

    Entre outras coisas, Shia fala sobre Douglas ("ele estava completamente angustiado durante as filmagens"), sua namorada Carey Mulligan (que foi indicada a um Oscar de Melhor Atriz por An Education e também está em Wall Street) e Khloe Kardashian (ele ficou extremamente irritado quando, enquanto se recuperava de um acidente de carro -- onde ele perdeu um dedo --, ele viu Khloe na TV reprimindo-o por estar dirigindo bêbado, o que ele afirma não ter sido o caso).

    Essa edição também trás a polêmica matéria de Rielle Hunter, a amante do senador John Edwards, que eu comentei brevemente aqui.
  • O australiano Sam Worthington, estrela de Avatar, é a capa da Details. Na reportagem, ele fala sobre como ele foi de um desconhecido para estrela do filme mais lucrativo de todos os tempos, sobre suas crises de identidade e, claro, promove seu novo filme, Clash of the Titans.


  • A Maxim, que recentemente ganhou uma versão brasileira, não traz mulheres peladas mas sempre tem alguma celebridade (raramento de grande escalão apesar da revista ter uma circulação superior a 2 milhões de cópias) em um ensaio sensual e um monte de artigo bem trashy (no estilo Cosmopolitan mas numa versão mais cheia de testosterona). Na capa esse mês, Alice Eve, atriz que tem seu primeiro papel de destaque na comédia She's Out of My League que acaba de estrear nos EUA.

  • E, finalmente, a Playboy. A capa desse mês é Candice Busher cuja claim to fame foi ter sido escolhida como o rosto da marca Guess?.

Art



  • A revista V é a irmã mais nova e humilde da Visionnaire. Obviamente, ser "humilde" quando comparado a Visionnaire (uma revista sobre couture e arte cujo preço de uma edição pode chegar a mais de 600 dólares) não significa muita coisa. A revista trata de moda e arte e, esse mês, traz Kirsten Dunst, cujo filme All Good Things acaba de estrear, como capa e recheio. A atriz é fotografado no estilo Old Hollywood pelo mega-estrelado Mario Testino.
  • A revista de arte e cultura Blackbook estampa Julianne Moore em sua capa. Moore estrela, junto com Amanda Seyfried, o polêmico filme Chloe. A reportagem de capa pode ser conferida por inteiro no site da revista.
Gay

Yup, assim como "revista masculina" não significa necessariamente revista de mulher pelada, "revista gay" também não é sinônimo de revista de homem nu.



  • A confissão de Sean Hayes, o Jack de Will & Grace, que ele é homossexual consegue a díficil tarefa de ser ainda mais chocante do que a do Ricky Martin. É para fazer o "inesperado" anuncio que o ator aparece na capa da edição mais recente da The Advocate.
  • Billie Joe, líder do Green Day, é a capa da Out mais recente. Joe, que é bissexual, fala sobre como ele transformou o álbum American Idiot, um dos CDs de rock mais bem sucedidos dos últimos tempos, num elogiado musical da Broadway (que acaba de estrear).

Um comentário:

Quem sou eu